PS apela a pacto de regime entre partidos para o pós-2020

PS apela a pacto de regime entre partidos para o pós-2020

 

Lusa/AO online   Regional   16 de Fev de 2018, 15:27

O grupo parlamentar do PS/Açores apelou, esta sexta-feira, aos partidos com assento na Assembleia Legislativa Regional para fazerem "um pacto de regime" que defenda os interesses e defina as prioridades da região nas futuras políticas da União Europeia.

"Iremos discutir no próximo plenário a estratégia no pós-2020 em termos de fundos comunitários e aquilo que devem ser as prioridades da região. O Governo irá fazer esta apresentação. Nós iremos debater, discutir e todos os partidos terão oportunidade de explicar o seu ponto de vista, mas há a possibilidade de nós criamos um pacto de regime sobre aquilo que achamos que devem ser os pilares de desenvolvimento a partir de 2020”, afirmou Francisco César, vice-presidente do grupo parlamentar socialista açoriano.

O parlamentar socialista falava em São Jorge no encerramento das jornadas que tiveram como tema central “Políticas Europeias no Pós-2020”.

Francisco César sublinhou que, além da auscultação que o governo em feito nos últimos meses junto da sociedade civil, com várias reuniões com partidos políticos e parceiros sociais, esta parceira "também deve ser complementada pelos partidos políticos com representação parlamentar".

“Aquilo que nós apelamos aos partidos políticos presentes no próximo plenário é que estejam disponíveis para trabalhar em parceria, em coligação com os parceiros sociais e com a sociedade civil no sentido de termos um poder de reivindicação junto da União Europeia e do Governo da República naquilo que são as prioridades para a política comunitária no pós-2020”, vincou.

"A melhor forma de sabermos qual é o caminho é se o fizermos juntos em coligação com todos os atores sociais que são intervenientes na Região Autónoma dos Açores: a sociedade civil organizada, nomeadamente parceiros sociais, associações agrícolas e de pescadores, câmaras do comércio e sindicatos", acrescentou.

O vice-presidente do grupo parlamentar do PS/Açores vincou que esta é uma matéria que "os açorianos exigem que os partidos políticos estejam unidos", nomeadamente "naquilo que são as prioridades básicas" para o arquipélago.

"Ou seja, qual é o peso que deve ter a qualificação e a formação dos recursos humanos, qual é o peso que deve ter o apoio da agricultura, qual é o peso que deve ter o apoio às pescas e como é que isto deve ser feito e materializado em termos de politicas comunitárias", explicou, sublinhando que "os Açores são a região que mais projeção atlântica dá", daí que "mais do que uma relação de pedir à União Europeia deve ser estabelecida uma relação de parceria".

Na sua intervenção, no encerramento das jornadas parlamentares, o socialista açoriano lembrou ainda o facto de "os Açores serem uma região com as melhores taxas de execução de fundos comunitários".

"Nós merecemos ser apoiados porque nós complementamos a projeção atlântica da União Europeia. Este é o primeiro ponto de reivindicação", reforçou Francisco César.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
Consulte os termos e condições de utilização e a política de privacidade do site do Açoriano Oriental.