PS/Açores reitera disponibilidade de diálogo com oposição para “novo ciclo”

PS/Açores reitera disponibilidade de diálogo com oposição para “novo ciclo”

 

Lusa/AO online   Regional   27 de Nov de 2017, 14:05

O deputado socialista Francisco César reafirmou hoje que o partido se apresenta no debate das propostas de Plano e Orçamento regionais disponível para dialogar com a oposição, para construir “um novo ciclo que sirva as famílias” e as empresas.


“Hoje, apresentamo-nos aqui em diálogo com todas as senhoras e senhores deputados para prepararmos, para construirmos um novo ciclo que sirva as famílias, sirva as empresas, em suma, que sirva os novos desafios que a economia açoriana tem”, afirmou Francisco César na Assembleia Legislativa Regional, na Horta, ilha do Faial, rejeitando as acusações de que os indicadores de crescimento económico são propaganda.

O deputado adiantou que o PS, maioritário no parlamento regional, se apresenta no plenário com a certeza de que tudo o que fez foi com “a vontade genuína de ajudar as famílias, empresas” e a região, mas também para “dizer a verdade aos açorianos”.

“Para dizer que passámos tempos muito difíceis, tempos de tormenta”, reconheceu o parlamentar, destacando a “certeza de que todas as políticas” visaram “minorar ao máximo os efeitos da crise”, como o combate ao desemprego, a preservação da coesão social ou evitar falências.

Francisco César apontou as taxas do crescimento económico, da diminuição do desemprego ou do aumento do emprego para perguntar se se trata de propaganda do Instituto Nacional de Estatística.

“Já foi dito pelo vice-presidente o Governo, mas eu vou repetir de-va-gar. Em relação a 2014, ano mais alto do desemprego nos Açores, os senhores sabem quantos programas ocupacionais há a mais em relação a 2014?”, quando a taxa de desemprego era de 18%, questionou o parlamentar.

Segundo Francisco César, hoje a região tem “mais 320 pessoas em programas ocupacionais” do que em 2014 e “mais 13 mil pessoas empregadas”, ou seja, a responsabilidade da criação de emprego é em 98% das famílias e das empresas açorianas”, declarou, para destacar que este mito “está completamente quebrado”.

O deputado assegurou ainda que a postura do partido que suporta o Governo Regional é de “nunca ficar satisfeito com os resultados” e de “ser a principal força motriz da mudança” e de “criação de novo ciclo de desenvolvimento, porque a cada problema que foi resolvido há, naturalmente, outro desafio que surge”.

A proposta de Orçamento dos Açores para o próximo ano é de 1.292 milhões de euros, valor sensivelmente igual ao do corrente ano, enquanto o Plano de Investimentos global é de 753 milhões de euros, um decréscimo de cerca de 3% face ao de 2017.

O PPM, com um deputado no parlamento regional, já anunciou que vai votar contra.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.