PS/Açores inicia hoje encontros com partidos para debater reforma da autonomia

PS/Açores inicia hoje encontros com partidos para debater reforma da autonomia

 

Lusa/AO Online   Regional   25 de Jan de 2016, 07:40

O presidente do PS/Açores, Vasco Cordeiro, lidera a delegação socialista que a partir de hoje vai reunir com os partidos políticos com assento no parlamento regional para debater o processo de reforma da autonomia.

 

Os encontros, em Ponta Delgada, na ilha de São Miguel, começam à tarde com o Partido Comunista, seguindo-se na terça-feira com representantes do Bloco de Esquerda, do Partido Popular Monárquico e do CDS-PP, enquanto para quarta-feira está agendada a reunião com o PSD.

Em maio do ano passado, o líder do PS/Açores e presidente do Governo Regional disse que, 40 anos decorridos sobre a consagração constitucional da autonomia político-administrativa, era tempo de dar “o passo seguinte”, propondo a possibilidade de existirem candidaturas de cidadãos independentes e listas abertas nas eleições para o parlamento regional, reforço da natureza e funções dos Conselhos de Ilha e a extinção do cargo de Representante da República.

No mês seguinte, o presidente do PSD/Açores, Duarte Freitas, enviou uma carta a Vasco Cordeiro a propor a abertura da discussão da reforma do sistema político autonómico, na qual manifestou vontade de se poderem sentar à mesa para discutir e "alinhavar" aquilo "que pode ser a autonomia do futuro", o que, "naturalmente, terá de agrupar todas as forças políticas".

Ainda nesse mês, Vasco Cordeiro convidou os partidos para um encontro em julho para um “esclarecimento mútuo, concretização de propostas já avançadas e debate” em torno da reforma da autonomia, defendendo na ocasião que “devem ser criadas as condições para que este processo seja o mais abrangente e participado possível”.

Contudo, o debate sobre a reforma da autonomia acabou por ser adiado para depois das eleições legislativas, que se realizaram em outubro.

Já este ano, o líder do PS/Açores reiterou o convite aos partidos para uma tentativa de "consensualização" em torno desta matéria.

Na carta, o dirigente socialista defende a necessidade de se fazer "um esforço" no sentido de se criar um "consenso sobre os contornos, objetivos e extensão da reforma” do “sistema de autogoverno" dos Açores.

"Considero, aliás, que as próximas eleições legislativas regionais [neste ano] constituem o momento adequado para a atribuição de um mandato claro para a consagração dessas reformas, as quais, se obtido entretanto o desejável consenso, poderão até suscitar uma pronúncia mais esclarecida por parte dos açorianos", adianta a missiva.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.