PS/Açores desafia deputados do PSD a votarem a favor

PS/Açores desafia deputados do PSD a votarem a favor

 

Lusa/AO Online   Regional   9 de Mar de 2016, 16:16

O PS/Açores desafiou hoje os representantes açorianos na Assembleia da República, nomeadamente os eleitos pelo PSD, a votarem favoravelmente o Orçamento de Estado, alegando que o documento consagra "reivindicações antigas" da região que estiveram "quatro anos congeladas".

 

“O desafio que o PS/Açores coloca aos representantes dos açorianos na Assembleia da República é que reconheçam a importância deste Orçamento de Estado (OE), o facto de consagrar um conjunto de respostas a aspirações e reivindicações antigas e que estiveram nos últimos quatro anos congeladas por indiferença do Governo da República, e que votem favoravelmente o Orçamento de Estado para 2016”, disse o vice-presidente do PS/Açores, André Bradford.

O dirigente dos socialistas açorianos falava numa conferência de imprensa onde salientou "o acolhimento" no OE das "propostas de alteração" apresentadas pelos deputados do PS eleitos pelos Açores.

“Apesar de se tratar de um documento que já representava, na sua versão inicial, uma viragem significativa na política de desconsideração e abandono a que o anterior Governo do PSD/CDS-PP votou as Regiões Autónomas, foi ainda possível melhorá-lo graças ao trabalho empenhado, articulado e eficaz entre o Governo dos Açores e aqueles que na Assembleia da República, em representação do PS/Açores, nunca deixaram de porfiar em busca das melhores soluções possíveis”, sublinhou.

Entre as alterações propostas pelo PS/Açores que "mereceram o apoio da maioria que suporta o Governo da República" está "a redução em 50% do valor das contribuições para a Segurança Social por parte dos agricultores", medida de "grande relevância para mitigar os impactos negativos dos desafios do setor” devido à “crise europeia do preço do leite".

"Em complemento, e ainda nesta área, foi também adicionada uma norma que prevê a reposição do tempo relevante para aposentação dos trabalhadores dos matadouros", acrescentou André Bradford, frisando que o OE “resolve um diferendo antigo entre a Região e a República, ao pôr termo à discriminação dos açorianos" no acesso a cuidados de Saúde no continente e destacou que a Universidade açoriana "poderá retomar as normais condições de recrutamento e contratação de professores, processo que antes dependia de autorização prévia do Governo da República".

Fica "igualmente estabelecido que o Governo da República acordará com o Governo Regional a execução do PREIT, Plano de Recuperação Económica da Ilha Terceira, dando assim consequência prática a um documento que o PS/Açores considera vital para atenuar o impacto negativo que resulta da redução do destacamento militar dos Estados Unidos na Base das Lajes e que esteve tanto tempo à mercê do desinteresse do anterior Governo da República", sublinhou.

O vice-presidente do PS/Açores referiu que "aqueles que ao longo da última legislatura detiveram responsabilidades governativas na República sem nada terem resolvido em favor dos Açores (...) têm "uma boa oportunidade para se redimirem. Basta para tal que reconheçam o óbvio: que o Orçamento de Estado é bom para os açorianos e que deve, por isso, merecer o apoio de todos quantos foram eleitos para os defender".

 

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.