PS/Açores critica anúncio do PSD de que irá votar contra plano e orçamento para 2017

PS/Açores critica anúncio do PSD de que irá votar contra plano e orçamento para 2017

 

Lusa / AO online   Regional   4 de Mar de 2017, 11:28

O líder parlamentar do PS/Açores, André Bradford, criticou hoje o anúncio do PSD/Açores de que iria votar contra o Plano e Orçamento da região para 2017, alegando que o partido se está a demitir de negociar.

 

"Não percebemos muito bem como é que, em democracia, se parte para o diálogo político dizendo de antemão que não é relevante que desfecho é que terá esse processo negocial, uma vez que de qualquer forma se está contra", frisou, na conferência de imprensa de encerramento das jornadas parlamentares do PS/Açores, em Angra do Heroísmo.

Horas antes, em Ponta Delgada, também num encerramento de jornadas parlamentares, o líder do PSD/Açores, Duarte Freitas, disse que o partido votaria contra o Plano e Orçamento para 2017, por considerar que as propostas do Governo Regional socialista eram "mais do mesmo".

"O PSD não se revê nos documentos orçamentais que estão no Plano e Orçamento 2017, nem nas Orientações de Médio Prazo apresentadas pelo Governo Regional socialista e, por isso, vamos votar contra estes documentos", afirmou, anunciando a apresentação de propostas de alteração.

Para André Bradford, ao anunciar o voto contra, o PSD está a demonstrar que "não acredita na qualidade e na validade das suas próprias propostas de alteração", porque considera que mesmo que fossem aprovadas não melhorariam os documentos.

"O contributo prático do PSD para a programação estratégica da atuação governativa no próximo ano nos Açores é zero. Não há contributo líquido, porque não há diferença nenhuma entre o facto de algumas propostas do PSD serem aprovadas ou não serem aprovadas", salientou.

O líder parlamentar socialista sublinhou, no entanto, que o partido está disponível para o viabilizar propostas de alteração dos vários partidos da oposição que "melhorem de forma fundamentada e equilibrada" o Plano e Orçamento da região, que é votado este mês no Parlamento açoriano.

"Acreditamos nas prioridades políticas traçadas, assumimos convictamente os desafios da criação de emprego e da sua segurança reforçada, do combate à exclusão social, da qualificação da nossa oferta turística, entre outras prioridades, mas não temos a pretensão de o fazermos isoladamente ou como os únicos detentores da melhor forma de atingir estes objetivos", apontou.

André Bradford anunciou que o PS vai apresentar propostas de alteração aos documentos, no sentido de acentuar alguns compromissos eleitorais, dando como exemplo o reforço da promoção da mobilidade elétrica, através de incentivos no plano das deduções fiscais das empresas.

Apesar de considerar que houve uma "trajetória impressiva" na redução do desemprego nos últimos quatro anos nos Açores, o líder parlamentar socialista frisou que "não é satisfatório o nível de desemprego que ainda se verifica".

"Temos de dar incremento a esse processo e ao mesmo tempo acompanhar esse esforço de um esforço de combate à precariedade laboral, porque a criação de emprego é relevante, mas a qualidade de emprego criado também é relevante", salientou.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.