PS/Açores considera "parcial" proposta de relatório da comissão aos transportes

PS/Açores considera "parcial" proposta de relatório da comissão aos transportes

 

Lusa/AO online   Regional   18 de Jan de 2016, 16:52

O PS classificou como "parcial e redutora" a proposta de relatório da comissão de inquérito aos transportes marítimos nos Açores, anunciando que vai apresentar muitas propostas de alteração, mas a oposição não tem igual entendimento.

"A proposta do relatório, que hoje começamos a votar, é parcial e redutora. Temos muitas propostas de alteração a fazer", afirmou o deputado da maioria socialista José Contente, no início da reunião da comissão de inquérito, em Ponta Delgada, que começou hora e meia depois do previsto.

O documento contém cerca de 60 quesitos, 39 conclusões e quatro recomendações. A votação começou hoje e só deve terminar na terça-feira, último dia de vigência da comissão.

Em nome do PSD, o deputado Cláudio Lopes considerou "muito equilibrada" a proposta de relatório, alegando que ela é "uma súmula muito aproximada do resultado do trabalho da comissão realizado em dois meses e meio", período em que foram realizadas 23 inquirições.

Ana Espínola, deputada do CDS-PP, considerou que a comissão tem ainda pela frente "uma longa jornada de trabalho", pelo que só no fim se verá "se ela é redutora e parcial como diz o PS".

A comissão de inquérito aos transportes marítimos e infraestruturas portuárias foi criada, por proposta do PSD, para investigar acidentes ocorridos no final de 2014 na ilha do Pico, num dos quais morreu um passageiro da Transmaçor, uma das empresas públicas açorianas que asseguravam o transporte marítimo de pessoas e viaturas no arquipélago, entretanto fundida na Atlânticoline.

A comissão, presidida pelo PSD mas onde o PS tem a maioria, pretende ainda analisar investimentos feitos em portos e barcos nos Açores e apurar responsabilidades políticas.

O acidente mortal ocorreu a 14 novembro de 2014, depois de um passageiro ter sido atingido por um cabeço de amarração que rebentou, no porto de São Roque, quando o navio "Gilberto Mariano", que faz ligações entre as ilhas do Faial, Pico e São Jorge, se encontrava em manobras de atracagem, explicou na ocasião o capitão do Porto da Horta, Diogo Vieira Branco.

Além deste acidente, dias antes, no porto da Madalena, igualmente na ilha do Pico, dois cabeços de amarração rebentaram durante a atracagem com o "Mestre Simão", o navio gémeo do "Gilberto Mariano", obrigando a deslocar temporariamente a operação de transporte marítimo de passageiros para o cais da gare antiga.

Este acidente motivou também a abertura de um inquérito pelo Ministério Público, que ainda decorre.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.