PS/Açores acusa CDS-PP de tentar reescrever história das 'low-cost' na Terceira

PS/Açores acusa CDS-PP de tentar reescrever história das 'low-cost' na Terceira

 

Lusa/AO Online   Regional   4 de Fev de 2016, 16:21

O líder parlamentar do PS na Assembleia Legislativa dos Açores acusou hoje o presidente regional do CDS-PP de tentar "reescrever a história" das negociações para a presença de companhias aéreas de baixo custo na ilha Terceira.

 

"Esta conferência de imprensa do CDS-PP só pode ser uma brincadeira de Carnaval, porque todos se recordam que, se hoje não temos ‘low-cost' a voar para a ilha Terceira, é porque o anterior Governo do PSD e do CDS-PP vetou essa possibilidade quando uma das companhias ‘low-cost' solicitou voar para a ilha Terceira", frisou, Berto Messias, numa nota de imprensa.

Em setembro, o presidente executivo da Ryanair disse que a companhia apresentou uma proposta para voar para a ilha Terceira, que foi recusada pelo Governo da República.

O líder da bancada parlamentar socialista reagia a Artur Lima que acusou hoje o secretário regional do Turismo e Transportes de criar expectativas sobre a vinda de companhias aéreas de baixo custo para a Terceira, questionando o governante, através de um requerimento no parlamento açoriano, sobre o processo das negociações que disse ter mantido com duas companhias.

Em março de 2015, as rotas aéreas entre as ilhas de São Miguel e Terceira com o exterior da região foram liberalizadas, mas apenas São Miguel passou a ter voos de companhias aéreas de baixo custo.

Em julho, o líder do PSD/Açores, Duarte Freitas, anunciou que a Terceira passaria a ter voos ‘low-cost' a "breve trecho", informação que foi confirmada pouco tempo depois pelo então ministro da Presidência e dos Assuntos Parlamentares, Marques Guedes.

Na altura, também o secretário regional do Turismo e Transportes disse que o executivo açoriano estava a trabalhar para que a chegada das ‘low-cost' à ilha Terceira fosse uma realidade "dentro de pouco tempo", enumerando cerca de duas dezenas de contactos mantidos, "desde setembro de 2014", com as companhias que já viajavam para São Miguel.

Berto Messias realçou, no entanto, que quem anunciou os voos de baixo custo para a ilha Terceira foram CDS-PP e PSD/Açores, protagonizando "situações ridículas".

"Recordo-me, por exemplo, de o presidente do CDS-PP ter dito que o ministro da Economia de então, Pires de Lima, teria garantido que haveria ‘low-cost' na ilha Terceira, quando passado duas semanas todos viemos a perceber que isso não aconteceria", salientou.

O líder da bancada parlamentar do PS considerou ainda que a postura do secretário regional do Turismo e Transportes nesta matéria foi "clara e transparente", criticando as "jogadas político-partidárias" do CDS-PP e do PSD.

"Nunca criou expectativas erradas nas pessoas, desenvolveu um conjunto de contactos com algumas companhias aéreas ‘low-cost', na perspetiva de aproveitar as infraestruturas existentes e de potenciar o mercado turístico da ilha Terceira. Esse trabalho foi feito, continua a ser feito de forma muito clara e transparente, muito séria e muito responsável", frisou.

 



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.