Próxima reunião da Comissão Portugal/EUA marcada para 16 de junho


 

Lusa/AO Online   Regional   21 de Abr de 2015, 18:55

A próxima reunião da Comissão Bilateral Permanente entre Portugal e os Estados Unidos para discutir a questão da base das Lajes realiza-se no dia 16 de junho, em Washington, anunciou hoje o chefe da diplomacia portuguesa.

O ministro de Estado e dos Negócios Estrangeiros português, que iniciou hoje em Washington uma série de reuniões com responsáveis políticos norte-americanos sobre a Base das Lajes, falava à Lusa a saída de um encontro com o secretário de Estado norte-americano, John Kerry.

Machete disse manter a confiança numa solução positiva para ambas as partes.

"Devemos lutar por aquilo que achamos importante. O otimismo faz parte da preparação psicológica que deve existir", salientou.

Referindo-se à sua agenda em Washington, Rui Machete destacou à agência Lusa que as reuniões têm dois objetivos: "falar em problemas de carácter geral, o que depende das características dos interlocutores; outras, sobretudo aquelas que estão relacionadas com os portugueses que vivem aqui ou com luso-americanos, com o problema das relações que se tem desenvolvido a propósito da Base das Lajes".

Hoje e amanhã, terá encontros com membros do grupo que defende os interesses de Portugal na Câmara dos Representantes dos Estados Unidos, com o presidente da comissão de Forças Armadas do Senado, o republicano John McCain; com o presidente da subcomissão parlamentar para a Europa da comissão de Negócios Estrangeiros do Senado, o republicano Ron Johnson e com o senador democrata do Massachusetts Edward Markey.

Os congressistas com origens portugueses e os representantes de áreas onde existem grandes comunidades portuguesas, como é o caso do senador Markey, têm sido instrumentais nas negociações sobre a Base das Lajes.

"Quanto à sensibilização, [o uso desta rede] é muito importante, mas evidentemente que isso não significa que possamos mudar em 180 graus a situação", disse o responsável.

A 08 de janeiro deste ano, o então secretário da Defesa dos Estados Unidos, Chuck Hagel, anunciou a redução de 500 efetivos da base aérea portuguesa nas Lajes.

No mesmo dia, o embaixador norte-americano em Lisboa explicou que o objetivo é reduzir gradualmente os trabalhadores portugueses de 900 para 400 pessoas ao longo deste ano e os civis e militares norte-americanos passarão de 650 para 165.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.