Provedor do cliente das agências de viagens diz que portugueses "reclamam mais"

Provedor do cliente das agências de viagens diz que portugueses "reclamam mais"

 

Lusa/AO online   Nacional   2 de Jun de 2015, 12:33

O provedor das agências de viagens e turismo, Vera Jardim, considerou que os portugueses "estão a reclamar mais" e conhecem melhor os direitos como consumidores.

 

Vera Jardim notou que "ao longo dos anos tem ocorrido um aumento gradual das reclamações" em relação a viagens organizadas, o que atribui a um maior conhecimento da figura do provedor e ao facto de os portugueses estarem "a reclamar mais em geral".

"Porventura com a crise dos últimos anos, as pessoas reclamam mais os seus direitos, quer nas condições oferecidas e não cumpridas, quer nos preços. Tenho quase como certo que os portugueses estão mais conscientes dos seus direitos de consumidores", afirmou, durante uma conferência de imprensa, em Lisboa, para apresentar o número de reclamações recebidas este ano e em 2014.

Desde o início do ano e até ao passado dia 28 de maio, o provedor do cliente tinha recebido 162 reclamações e 64 pedidos de informação ou aconselhamento.

Destas reclamações, 64 foram indeferidas, a maioria por se tratar de agências não associadas do provedor (30 reclamações) ou por serem assuntos fora da competência (24), como as viagens adquiridas diretamente a companhias áreas ou reservas feitas diretamente em hotéis.

No caso das agências não associadas do provedor, notou Vera Jardim, "em mais de 90% dos casos" trata-se de empresas que não estão bem identificadas na Internet, em relação às quais a margem de atuação é nula.

Das reclamações apreciadas, houve 10 decisões totalmente favoráveis ao reclamante e outras 21 parcialmente favoráveis. Noutros 25 casos, a decisão foi negativa e outros 17 são processos ainda em curso.

De acordo com Vera Jardim, com base na comparação destes números face ao mesmo período de 2014, prevê-se que "este ano seja parecido com o ano passado".

No ano de 2014, informou o provedor, houve um total de 871 reclamações recebidas, que se traduziu num aumento de 20% face ao ano anterior e foi o maior número de queixas recebidas num só ano. Houve ainda 138 pedidos de informação ou aconselhamento.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.