Proteção dos oceanos pode dar impulso à economia de 800 mil ME

Proteção dos oceanos pode dar impulso à economia de 800 mil ME

 

Lusa/AO online   Ciência   4 de Jun de 2015, 11:06

Mais de 900.000 milhões de dólares (800.700 milhões de euros) podem ser gerados até 2050 e criados 180 mil empregos através da expansão das áreas marítimas protegidas, diz um estudo publicado pelo Fundo Mundial da Natureza (WWF).

 

"Cada dólar investido para criar áreas marítimas protegidas permite benefícios três vezes superiores, graças à criação de empregos diretos, à proteção costeira ou à pesca", refere o WWF em comunicado.

O relatório, divulgado hoje à margem da Cimeira Mundial dos Oceanos, que se realiza em Cascais, tem por base estudos conduzidos pela Universidade UV de Amsterdão, comissionados pelo WWF.

Segundo o estudo, o benefício económico de uma maior proteção dos oceanos iria exceder largamente os custos, ao aliviar os danos causados pelo excesso da atividade pesqueira, poluição e outros fatores relacionados com o ambiente.

Os investigadores calculam que possam ser gerados entre 490.000 milhões e 920.000 milhões de dólares (entre 435.470 milhões e 8180.00 milhões de euros) nos próximos 35 anos através da expansão das áreas marítimas protegidas, num processo também passível de criar entre 150 mil e 180 mil empregos.

Por isso, e para o futuro, o WWF preconiza a extensão das áreas marítimas totalmente interditas à pesca para 10% da superfície dos oceanos, até 2020, e para 30%, até 2030, contra os menos de 4% atuais.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.