Proteção Civil cabo-verdiana proíbe subida ao pico do vulcão do Fogo

Proteção Civil cabo-verdiana proíbe subida ao pico do vulcão do Fogo

 

Lusa/AO online   Internacional   27 de Mai de 2015, 11:34

O Serviço Nacional de Proteção Civil (SNPC) de Cabo Verde anunciou que estão proibidas as subidas ou escaladas ao pico do vulcão do Fogo e a aproximação e permanência de pessoas a menos de 500 metros da respetiva base.

 

Num comunicado, o SNPC adianta que, segundo informações do Instituto Nacional de Meteorologia e Geofísica (INMG) e do Laboratório de Engenharia Civil (LEC), "há sérios perigos inerentes a movimentos de uma massa de lava", embora, para já, esteja "fora de questão" a ocorrência de nova erupção.

Após 19 anos inativo, o vulcão do Fogo voltou a registar, entre 23 de novembro de 2014 e 08 de fevereiro deste ano, novas erupções vulcânicas, tendo destruído, ao longo desse período, as povoações de Portela e Bangaeira, em Chã das Caldeiras, e causado prejuízos estimados em cerca de 45 milhões de euros.

Segundo a nota divulgada hoje pelo SNPC, há blocos de rocha próximos do pico principal do vulcão do Fogo, conhecido também "Homem Grande" (a 2.829 metros de altitude), que podem desprender-se, colocando em risco a segurança e a vida das pessoas.

"Neste momento, existe uma massa de lava a desprender-se do pico principal do vulcão, com blocos de rochas que, se atingirem uma pessoa, pode ser fatal. Além da massa, existe também o desenvolvimento de fraturas na mesma região, pondo em risco a segurança e a vida das pessoas", explica-se no documento.

O SNPC adiantou que a informação foi enviada às três câmaras foguenses (São Filipe, Mosteiros e Santa Catarina), associação de guias turísticos, direção do Parque Natural do Fogo e é extensível a todas as pessoas e instituições.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.