Promotores privados projetam aquário de grandes dimensões em Ponta Delgada


 

Lusa/AO Online   Regional   29 de Fev de 2016, 18:32

Promotores privados estão a projetar um aquário de grandes dimensões para a baía de Ponta Delgada, o "Azores Aquarium", projeto que representa um investimento de 15,5 milhões de euros e está em fase de licenciamento.

 

“Nós estamos, neste momento, numa fase de desenvolvimento de todas as peças dos projetos de especialidade e de licenciamento. Todo este projeto é alvo de imensas licenças”, explicou aos jornalistas, em Ponta Delgada, Tiago Raiano, do grupo Newtour, um dos promotores da iniciativa, referindo que se estima receber 200 mil visitantes por ano.

Tiago Raiana disse que com este projeto, que permitirá criar 30 postos de trabalho na ilha de São Miguel, se pretende incrementar o tempo médio de estadia do turista na região.

O empresário João Rodrigues, da empresa Picos de Aventura, que integra o grupo Newtour, indicou que se pretende iniciar as obras dentro de um ano, “se tudo correr bem”, tendo estas um prazo de construção de 18 meses após o processo de licenciamento.

A iniciativa vai ser candidatada a fundos comunitários, enquadrando-se no Plano Diretor Municipal de Ponta Delgada, segundo os promotores.

João Rodrigues explicou que só a sua localização na baía de Ponta Delgada, junto ao forte de São Brás, a viabiliza, uma vez que de outra forma os custos “mais do que duplicariam”.

Frias Martins, biólogo da Universidade dos Açores, que há cerca de 20 anos idealizou este projeto para a ilha de São Miguel e é consultor científico do projeto, informou que no aquário principal vão poder ser vistas espécies como tubarões, raias, peixes-lua, cavalas e jamantas, entre muitas outras.

Álvaro Peanchuelo, da empresa Museums & Expos Internacional Limited (Muse), outro dos parceiros desta empreitada, declarou que a obra vai desenvolver-se por uma área de cerca de dois mil metros quadrados, contemplando aquários e um oceanário, um restaurante submarino, um centro interpretativo interativo, um laboratório de investigação e um “terraço ‘chill out’”.

O responsável pela Muse adiantou que está ainda previsto um centro de mergulho, outro de recuperação de espécies, observatórios de paisagens e vários acessos desde o passeio marítimo da cidade de Ponta Delgada, bem como um molhe para embarcações destinadas à atividade marítimo-turística.

De acordo com Álvaro Peanchuelo, pretende-se dar a conhecer toda a biologia do fundo do mar a quem se desloca aos Açores e aos próprios açorianos, bem como de todo o espaço da Macaronésia (designação dada ao conjunto dos arquipélagos Açores, Madeira, Canárias e Cabo Verde).

O responsável afirmou que quem se deslocar ao Azores Aquarium irá ter a sensação de estar no interior de uma cratera de um vulcão, rodeado de pedra basáltica, podendo usufruir de uma viagem virtual a quatro mil metros de profundidade.

 

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.