Programa para desempregados sem subsídio coloca 2600 pessoas este mês

Programa para desempregados sem subsídio coloca 2600 pessoas este mês

 

Lusa/AO online   Regional   12 de Fev de 2015, 17:35

O presidente do Governo dos Açores revelou que cerca de 2.600 desempregados que não beneficiavam do subsídio de desemprego vão ser ainda este mês colocados no mercado do trabalho ao abrigo do programa Recuperar.

 

"Este é verdadeiramente um programa de coesão social, uma vez que, se este não tivesse sido criado pelo Governo dos Açores, o que resultaria da aplicação dura das regras nacionais, é que teríamos todos estes açorianos que beneficiam deste programa desempregados, sem ocupação, sem rendimento para o seu sustento e das suas famílias e sem darem um contributo relevante para tarefas que são da região", declarou Vasco Cordeiro.

O chefe do executivo açoriano, que falava na Universidade dos Açores, em Ponta Delgada, perante cerca de 400 desempregados, no âmbito da apresentação do programa Recuperar para 2015, frisou que este programa visa "criar medidas que deem resposta aos açorianos e às açorianas" e alcançar resultados num desafio que considerou "árduo, mas que, paulatinamente, vai apresentando os seus resultados", que é o da criação de emprego nos Açores.

O programa Recuperar, de acordo com o presidente do Governo dos Açores, foi criado com a intenção de acautelar os desempregados que estavam inscritos nos centros de emprego da região, sem receber subsídio de desemprego "devido às regras nacionais" e que, com as suas famílias, se encontravam numa situação de "grande fragilidade".

"Criámos este programa porque ele é também a forma como assumimos a nossa responsabilidade como Governo dos Açores. Fazemo-lo até ao limite das nossas competências e dos nossos recursos", declarou Vasco Cordeiro, que revelou que para 2014 e 2015 foram destinados ao programa Recuperar 40 milhões de euros.

Vasco Cordeiro, para quem este "é dinheiro bem gasto", declarou que o programa Recuperar na sua versão de 2015 tornou-se "mais abrangente", passando a contemplar aqueles que têm até 29 anos e estão inscritos nas agências de emprego há mais de quatro meses.

Outra nova componente do programa, segundo o presidente do Governo Regional, é a sua maior rapidez, tendo sido estabelecido um prazo de 60 dias para que todo o processo de colocação esteja concluído.

O programa Recuperar visa apoiar a inserção profissional de desempregados que já tenham perdido o subsídio de desemprego.

As empresas ou entidades interessadas apresentam candidaturas para receber estes colaboradores, que podem contratar ao abrigo do Recuperar até um máximo de 24 meses.

Ao abrigo do programa, os beneficiários recebem uma retribuição com um valor base igual ao salário mínimo regional, que é majorado em função da qualificação de cada um.

As empresas ou entidades têm de assegurar uma comparticipação de 100 euros mensais por cada desempregado contratado nestas condições.

De acordo com o que a diretora regional do Emprego e Qualificação Profissional declarou aos jornalistas, em 2014 beneficiaram do programa Recuperar 1.500 desempregados nos Açores.

Ilda Baptista explicou que os beneficiários do programa podem também receber outros apoios sociais, como o Rendimento Social de Inserção, tendo referido que existem, neste momento, nos Açores, cerca de três mil pessoas inscritas nos centros de emprego sem acesso ao subsídio de desemprego.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.