Professores querem antecipar concursos no próximo ano e rejeitam mobilidade

Professores querem antecipar concursos no próximo ano e rejeitam mobilidade

 

Lusa/AO Online   Nacional   23 de Jan de 2015, 05:24

A Federação Nacional da Educação vai hoje ao Ministério da Educação exigir que os concursos de colocação sejam antecipados para evitar os atrasos verificados no ano letivo em curso, num dia em que será também discutida a mobilidade especial.

Numa reunião destinada a preparar o despacho de organização do próximo ano letivo, a FNE promete insistir na operacionalização dos concursos de professores e na falta de trabalhadores não docentes nas escolas.

"Insistimos na reivindicação de que todos os procedimentos concursais sejam antecipados, de modo que o início de cada ano letivo não continue a ser marcado por forte perturbação, tal com aconteceu este ano", lê-se na informação disponibilizada no "site" da FNE.

Da parte da tarde, organizações sindicais e responsáveis do governo voltam a reunir-se, mas para discutir a mobilidade especial dos docentes.

A FNE pretende evitar a mobilidade dos professores que se encontram sem turma atribuída. A FENPROF teme também que seja aplicado este regime aos docentes a partir do dia 01 de fevereiro.

“Apesar de Nuno Crato ter afirmado, no início do ano letivo, que o número de docentes com horário-zero seria ´zero´, ainda há 149 professores nessa situação, para além de terem sido colocados em substituição temporária 442 docentes que se encontravam na plataforma de horários-zero”, à qual regressarão finda a substituição, alerta a FENPROF em comunicado.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.