Privados anunciam projectos na ordem dos 24 milhões de euros

Privados anunciam projectos na ordem dos 24 milhões de euros

 

João Alberto Medeiros   Regional   25 de Set de 2010, 15:30

O grupo Marques, a Fábrica de Tabaco Micaelense e a empresa Carlton Life vão desenvolver um projecto na área dos cuidados continuados, com 144 camas, orçado em cerca de oito milhões de euros.

Pedro Guimarães, da Carlton Life, declarou ontem na sequência de uma audiência com o presidente do Governo dos Açores que o projecto se encontra em fase de desenvolvimento, vai ficar localizado em Ponta Delgada e deverá avançar em meados de 2012.

Este projecto privado pretende colmatar uma lacuna na área da Saúde nos Açores e pretende fazer da classe média o seu principal cliente.

Pedro Guimarães referiu que o projecto deverá ser candidatável aos sistemas de incentivos regionais e alvo da celebração de um protocolo com o Governo dos Açores,visando a prestação de serviços.

Carlos César recebeu também um grupo de surfistas que vai avançar com um projecto de eco-turismo junto à praia de Santa Bárbara, na Ribeira Grande.

Trata-se de um projecto orçado em cerca de 10 milhões que vai gerar cerca de 120 postos de trabalho e que deverá arrancar a 1 de Junho de 2012.

David Mailman, em nome do grupo de surfistas, refere que se pretende desenvolver um projecto ambientalmente sustentável que pretende atrair surfistas para os Açores.

O projecto contempla 12 lojas, 24 apartamentos de apenas um piso e 21 bungalows.

Outra intenção de investimento foi apresentada por Edmundo Nobre, da YDreams.

O projecto encontra-se ainda numa fase embrionária e vai apostar na investigação e na inovação.

Edmundo Nobre considera que a empresa YDreams pode ser uma mais valia na promoção da imagem dos Açores.

Em seis milhões de euros está entretanto orçado o projecto de reabilitação dos estaleiros navais da Madalena do Pico.

O projecto vai ser desenvolvido pelos Estaleiros Navais de Peniche, a convite do Governo dos Açores.

Carlos Mota, dos Estaleiros Navais de Peniche, explicou que se pretende dotar aquela infra-estrutura da capacidade de responder às necessidades da frota açoriana, gerando também mais valências. No âmbito deste projecto, os Estaleiros Navais de Peniche vão adquirir 49 por cento do capital da empresa Naval Canal, que explora o porto da Madalena do Pico. A reestruturação, que deverá estar concluída no verão de 2012, permitirá criar entre 50 a 60 postos de trabalho. 

Leia esta notícia na íntegra no jornal Açoriano Oriental de sábado,
Dia 25 de Setembro de 2010


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.