Operação Furacão

Prisvideo e produrora Comunicason alvo de buscas


 

Lusa/Ao online   Nacional   14 de Dez de 2007, 06:52

A empresa de distribuição de filmes de vídeo Prisvídeo e a produtora televisiva Comunicasom foram alvo de buscas no âmbito da Operação Furacão, que investiga suspeitas de fraudes fiscais, noticia hoje a imprensa.
As buscas nas duas empresas decorreram no início da semana no âmbito da Operação furacão, que investiga suspeitas de fraude fiscal e branqueamento de capitais.

    O Jornal de Negócios revela que as buscas na produtora televisiva Comunicasom decorreram na segunda-feira, estando a empresa indiciada pela utilização de facturação falsa de serviços como forma de reduzir os seus encargos fiscais.

    Manolo Bello, sócio-gerente da Comunicasom, confirmou ao Jornal de Negócios (JdN) as buscas na empresa mas desdramatizou dizendo que “uma inspecção de finanças é a coisa mais normal do mundo em qualquer empresa”.

    “Nada tenho a esconder. Os impostos da empresa e os meus estão rigorosamente em dia, como sempre estiveram”, garantiu ao jornal Manolo Bello.

    Na terça-feira, também a Prisvídeo, uma das principais empresas do circuito de distribuição de filmes de vídeo e jogos de computador, com sede em S. João da Madeira, foi alvo de buscas.

    A Prisvídeo estará, segundo o JdN, indiciada pela manipulação dos resultados fiscais através do recurso a operações triangulares, intermediadas por empresas-fantasma inglesa.

    Na semana passada foram alvo de buscas as empresas Iberomoldes, do ex-deputado socialista Henrique Neto, e a Rui Costa Sousa & Irmão, que comercializa a marca Sr. Bacalhau.

    As buscas tiveram como objectivo recolher informações sobre alegada fuga e fraude fiscal.
Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.