Primeiro cliente do banco CTT em Ponta Delgada foi um carteiro

Primeiro cliente do banco CTT em Ponta Delgada foi um carteiro

 

Lusa/AO online   Regional   18 de Mar de 2016, 15:54

Às 9:00 em ponto, Júlio Maciel, carteiro de 61 anos, abria a primeira conta ao balcão da primeira agência dos Açores do banco CTT, na cidade de Ponta Delgada.

 

"Abri a conta pelas condições que dão", disse aos jornalistas Júlio Maciel, apontando a ausência de custos de manutenção da conta ou o cartão de crédito sem custos, a que soma o horário alargado da agência, das 9:00 às 18:00, o que "facilita no dia-a-dia".

Na estação dos Correios da avenida Antero de Quental, a maior do arquipélago, é num pequeno gabinete, reservado e personalizado, que a partir de hoje funciona o banco CTT, com o acesso a fazer-se do mesmo modo que para a loja, onde esta manhã faziam fila clientes para aceder a outros serviços.

No local, já existia uma caixa multibanco, sendo que a máquina de gestão de filas de espera contempla agora as opções "banco CTT depósitos e levantamentos" e "abertura de conta".

Júlio Maciel disse acreditar que num tempo em que as pessoas desconfiam da banca, as pessoas vão, contudo, confiar no banco CTT.

"Isto é novidade, pelo menos dão o benefício da dúvida", declarou, considerando que, "possivelmente", o novo banco pode vir a ocupar o espaço deixado pelo ex-Banif, hoje Santander Totta, que era o líder de mercado nos Açores e na Madeira.

A mesma opinião tem Mário Duarte, de 59 anos, que também se preparava para abrir uma conta no banco CTT, depois de consultar pela Internet as vantagens que apresenta.

"É capaz de conseguir entrar nessa brecha [deixada pelo Banif]. Não sei qual vai ser o desenvolvimento em termos de banca, mas os CTT têm algum prestígio e penso que estão a ir pelo caminho certo", referiu.

Margarida Costa, de 58 anos, outra funcionária dos Correios, quis igualmente abrir conta.

"Nós, os funcionários, devemos dar o testemunho de que vale a pena", comentou, lembrando que os CTT contam com 500 anos de História em que as pessoas têm "muita confiança".

Entre os clientes, uma funcionária do banco CTT dava informações e distribuía folhetos a quem esperava pela chamada da senha.

"Alguns desconhecem, outros tinham ouvido falar pela comunicação social e outros já tinham sido informados ao balcão", explicou Ana Teresa Sousa.

Ana Teresa Sousa adiantou que entre as perguntas mais frequentes está: "É um banco seguro?".

"Perguntam também se a conta tem despesas, qual o horário e qual a taxa do depósito a prazo", esclareceu.

Fátima Albergaria, diretora comercial e operacional dos Açores, adiantou que numa hora foram abertas cinco contas no banco CTT, o que considera ser "um pronúncio de boas expectativas para o futuro", permitindo acreditar que "vai crescer".

O banco CTT abriu hoje portas em 52 estações de Correios de todo o país. Antes do final do ano, o número de agências deverá quadruplicar para mais de 200.

Esta é a maior abertura de sempre em simultâneo de uma rede bancária em Portugal, segundo os CTT.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.