Primeiro avião grande de passageiros fabricado pela China realiza voo teste

Primeiro avião grande de passageiros fabricado pela China realiza voo teste

 

Lusa/Açoriano Oriental   Economia   5 de Mai de 2017, 10:57

O primeiro grande avião de passageiros fabricado pela China realiza esta sexta-feira o seu voo teste inaugural, com partida em Xangai, num importante marco para o país asiático, que ambiciona concorrer num mercado dominado por fabricantes ocidentais.

Desenvolvido pela estatal chinesa Commercial Aircraft Corp. (Comac), o modelo C919 visa competir com o Boeing 737 e o Airbus A320 nos aviões de até 160 assentos.

A empresa tinha planeado que o C919 começasse a voar em 2014 e que as primeiras encomendas fossem entregues em 2016, mas foi sucessivamente adiando devido a problemas com os fabricantes.

Caso o voo inaugural ocorra sem problemas, a Comam irá pedir a autorização das autoridades de avião civil da China e reguladores estrangeiros para começar a aceitar encomendas.

O desenvolvimento de um avião comercial para voos de longa distância insere-se nos objetivos de Pequim de transformar o país numa potência tecnologia, com capacidades nos setores de alto valor agregado, de acordo com o plano "Made in China 2025".

A Comac diz ter já 570 encomendas, sobretudo de companhias aéreas chinesas estatais.

Os poucos clientes estrangeiros que pretendem comprar o modelo chinês incluem a GE Capital Aviation Services e a Thailand's City Airways.

Bao Pengli, vice-diretor do departamento de gestão de projetos da Comac, afirmou na quinta-feira que a empresa fabricará dois aviões por ano, até 2019, até estar certa de que pode realizar um voo seguro e só depois iniciará produção em série.

O avião terá entre 155 e 175 lugares e capacidade média para fazer viagens de 4.075 quilómetros.

A Comac disse que mais de 200 empresas chinesas e 36 universidades estiveram envolvidas na pesquisa e desenvolvimento do avião.

Mas o C919 conta também com tecnologia estrangeira, incluindo nos motores, que são fabricados pela CFM International, uma 'joint venture' entre a norte-americana General Electric e a francesa Safran Aircraft Engines.

O primeiro avião fabricado pela China, o bimotor para uso regional ARJ-21, transportou passageiros pela primeira vez em junho de 2016, oito anos depois do primeiro voo teste.

Aquele modelo rivaliza com aviões fabricados pela brasileira Embraer SA e a canadiana Bombardier Inc.

Nos últimos anos, o país asiático mostrou ser capaz de absorver tecnologia estrangeira com rapidez.

Em duas décadas, passou de importador de aviões militares russos para produtor de jatos.

Na indústria ferroviária de alta velocidade ou no setor das energias limpas, as empresas chinesas passaram de colaboradores a concorrentes mais rápido do que antecipavam as empresas estrangeiras.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.