Presidentes dos Governos dos Açores e Canárias admitem reforço das ligações aéreas

Presidentes dos Governos dos Açores e Canárias admitem reforço das ligações aéreas

 

LUSA/AO Online   Regional   3 de Set de 2017, 19:45

O presidente do Governo dos Açores admitiu hoje o reforço das ligações aéreas da SATA com as Canárias, com o presidente da comunidade autónoma espanhola a querer potenciar as “boas ligações” da companhia com os Estados Unidos da América.

“Os transportes são uma das áreas em que certamente haverá a oportunidade de tocar impressões para reforçar esta ligação, sendo certo, como é público, que a SATA já possui ligações que vão até às Canárias”, declarou Vasco Cordeiro. O chefe do executivo açoriano falava aos jornalistas na Central Geotérmica do Pico Vermelho, no concelho da Ribeira Grande, na ilha de São Miguel, no início de uma visita de dois dias do presidente do Governo das Canárias, Fernando Clavijo Batlle, aos Açores. Vasco Cordeiro afirmou estar “inteiramente disponível para esse trabalho de aproximação e reforço, tendo em vista os aspetos que relevam para esta cooperação e objetivo”. Durante o verão, com partida de Ponta Delgada, na ilha de São Miguel, e ligação a Las Palmas, na Gran Canária, o grupo SATA assegura quatro ligações semanais, enquanto no período de inverno são feitas duas, com o avião Dash 400. O responsável pelo executivo açoriano considerou que a visita de Fernando Clavijo Batlle “é importante a vários níveis”, desde logo no quadro das relações bilaterais, no sentido de “aprofundar as ligações e a forma de reforçar a cooperação e o intercâmbio” entre as regiões. Vasco Cordeiro destacou a cooperação que é necessário também intensificar no quadro da Macaronésia, afirmando-a “ainda mais” e dando um “novo impulso” à Declaração do Mindelo, de 2010. Uma vez que as Canárias vão assumir a presidência da Conferência dos Presidentes das Regiões Ultraperiféricas da União Europeia, da qual os Açores fazem parte, Vasco Cordeiro considerou que existe um “conjunto de desafios” europeus que se colocam no pós-quadro 2020 (fundos comunitários), nomeadamente no âmbito da política de coesão. O governante açoriano sublinhou que tem havido uma “cooperação cada vez mais efetiva” no quadro do Comité das Regiões entre as regiões. O presidente do Governo das Canárias declarou, por seu turno, que no capítulo dos transportes aéreos o objetivo é “poder unir esforços”, assegurar as ligações entre as regiões e “poder a partir daí sair para outros destinos”, como os Estados Unidos da América, face “às boas ligações” que existem com aquele país por parte da SATA. Fernando Clavijo Batlle considerou que os produtos açorianos são “muito atrativos” para as Canárias e de “muito boa qualidade”, exemplificando com os setores do leite e da carne. O responsável pelo executivo das Canárias está confiante numa nova etapa de relacionamento entre as regiões, afirmando que “há muito a aprender” de ambas as partes, e acrescentou que, no quadro da Macaronésia, há que “partilhar os problemas” e "unir esforços para [ser] mais competitivos num mundo altamente globalizado”. O responsável declarou que as regiões ultraperiféricas estão a trabalhar num memorando para a Europa pós-2020, defendendo que Bruxelas “tem que se aperceber que estas são uma grande oportunidade como ponta de lança de toda a política europeia”. Fernando Clavijo Batlle considerou que, face à crise que a União Europeia atravessa, as regiões ultraperiféricas podem ser o “mais claro exemplo por que a Europa é necessária”. O segundo e último dia da deslocação do presidente do Governo das Canárias (segunda-feira) começa com um encontro entre Vasco Cordeiro e Fernando Clavijo Batlle, no Palácio de Santana, em Ponta Delgada, seguindo-se uma reunião entre os governos dos Açores e das Canárias.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.