Presidente do PSD/Açores recandidata-se ao cargo com "projeto de coesão social"

Presidente do PSD/Açores recandidata-se ao cargo com "projeto de coesão social"

 

Lusa/AO Online   Regional   10 de Fev de 2015, 11:26

O presidente do PSD/Açores, Duarte Freitas, apresentou hoje a sua recandidatura ao cargo com um "projeto de coesão social" para, em dez anos, tirar o arquipélago dos "últimos lugares" dos 'rankings' da pobreza e educação.

"Assumimos primacialmente a opção social do projeto político do PSD/Açores, por convicção, reforçada pela emergência social que vivemos. Temos um projeto de coesão social com o objetivo de em dez anos retirar os Açores dos últimos lugares europeus nos indicadores sociais relativos à pobreza e educação", afirmou, numa conferência de imprensa em Ponta Delgada.

O social-democrata é o único candidato nas eleições diretas para a presidência do PSD/Açores marcadas para 24 de fevereiro, apresentando um "projeto" em que propõe, ainda, a renegociação das parcerias público-privadas (PPP) e uma reforma do sistema político autonómico que tem vindo a defender reiteradamente.

"A autonomia é sinónimo de união e coesão territorial. Vamos potenciar as nossas diversidades num permanente esforço de união para que possamos todos progredir enquanto região, como um povo único. Quarenta anos depois do seu início, o regime autonómico necessita de transformações que aproximem os cidadãos da política e da gestão das causas públicas", afirmou.

As propostas do PSD para essa reforma passam pela redução do número de deputados no parlamento dos Açores e do número de cargos políticos na administração regional, pela extinção dos cargos de delegados de ilhas das secretarias regionais, pela diminuição dos cargos de confiança política nas empresas públicas regionais, pelo reforço da "legitimidade democrática" dos conselhos de ilha e pela criação de um Conselho de Concertação Territorial e de um Conselho Económico e Social autónomo.

Duarte Freitas assumiu-se nesta conferência de imprensa como candidato a presidente do PSD/Açores e do Governo Regional.

"O nosso grande objetivo é vencer as eleições regionais de 2016", vincou, dizendo depois, em resposta a uma questão dos jornalistas, que se recandidatará sempre a presidente do PSD/Açores em 2017, mesmo que perca as eleições do próximo ano, por entender que a liderança do partido precisa de "estabilidade" e de um trabalho de médio e longo prazo.

Em relação às legislativas nacionais deste ano, afirmou que "só uma vitória do PSD (...) permite que Portugal continue a trilhar o caminho da recuperação económica e social", mas não quis fazer mais comentários, dizendo que estratégia do PSD/Açores será debatida pelo Conselho Regional depois de haver uma definição do partido a nível nacional.

Duarte Freitas lembrou que os últimos dois anos, os primeiros em que esteve à frente do PSD/Açores, foram focados na renovação, reestruturação e reforma do partido.

Os próximos anos são de "desafios eleitorais", sublinhou, dizendo que sente o partido a seu lado, "preparado", "renovado" e com "força".

Duarte Freitas vincou que a moção com que se recandidata reuniu mais de 2.100 subscrições, quando há dois anos tinham sido 1.400, e que esta foi a estrutura do PSD, em todo o país, que mais novos militantes fez nos últimos dois anos (mais de mil novos militantes).

Ao lado de Duarte Freitas esteve hoje o mandatário da sua candidatura, o ex-presidente do PSD/Açores e da câmara de Ponta Delgada Manuel Arruda.

Em simultâneo com as diretas para a liderança do PSD/Açores, a 24 de fevereiro, decorrem eleições para as concelhias e as comissões políticas de ilha do partido. Segue-se, a 21 e 22 de março, o congresso do PSD/Açores, no qual Duarte Freitas conta ter Pedro Passos Coelho, presidente do PSD e primeiro-ministro.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.