Presidente do Governo Regional dos Açores ouvido hoje no Parlamento

Presidente do Governo Regional dos Açores ouvido hoje no Parlamento

 

Lusa/AO Online   Regional   10 de Mar de 2015, 06:31

O presidente do Governo Regional dos Açores, Vasco Cordeiro, é hoje ouvido no Parlamento sobre a base das Lajes, na ilha Terceira, na sequência do anúncio da redução da presença americana nesta base militar portuguesa.

Vasco Cordeiro participa numa audição na Comissão de Negócios Estrangeiros e Comunidades Portuguesas, requerida pelo Partido Socialista (PS) em janeiro último.

“Considero este um encontro muito importante porque permitirá também explanar perante a Assembleia da República as diligências, a perspetiva e as expectativas que o Governo Regional tem relativamente a este processo da base das Lajes”, disse o presidente do executivo açoriano, em declarações aos jornalistas na segunda-feira, em Ponta Delgada.

Na mesma ocasião, o representante regional preferiu não “antecipar” o que irá transmitir hoje aos deputados.

A 15 de janeiro, alguns dias depois do anúncio norte-americano sobre a base das Lajes, o PS requereu a presença de Vasco Cordeiro na comissão parlamentar de Negócios Estrangeiros e Comunidades Portuguesas.

Num requerimento enviado ao presidente da comissão, o socialista Sérgio Sousa Pinto, o deputado do PS Paulo Pisco considerou importante que Vasco Cordeiro se pronunciasse sobre "os impactos a vários níveis da acentuada redução de efetivos norte-americanos e dos trabalhadores portugueses na base das Lajes".

No mesmo texto, os socialistas propuseram igualmente ouvir o presidente da câmara da Praia da Vitória, Roberto Monteiro, audição também agendada para hoje.

No passado dia 24 de fevereiro, os ministros da Defesa e dos Negócios Estrangeiros, José Pedro Aguiar-Branco e Rui Machete, respetivamente, foram ouvidos sobre esta matéria numa audição conjunta das comissões parlamentares de Negócios Estrangeiros e de Defesa.

A 08 de janeiro, o então secretário da Defesa dos Estados Unidos, Chuck Hagel, anunciou a redução de 500 efetivos da base aérea portuguesa nas Lajes.

No mesmo dia, o embaixador norte-americano em Lisboa, Robert Sherman, explicou que o objetivo é reduzir gradualmente os trabalhadores portugueses de 900 para 400 pessoas ao longo deste ano e os civis e militares norte-americanos passarão de 650 para 165.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.