Presidente do Governo dos Açores esteve três dias nos EUA em "intensos contatos"

Presidente do Governo dos Açores esteve três dias nos EUA em "intensos contatos"

 

LUSA/AOnline   Regional   15 de Dez de 2012, 14:29

O Presidente do Governo dos Açores, Vasco Cordeiro, terminou hoje uma visita aos Estados Unidos onde manteve "intensos contactos" na sequência da decisão norte-americana de reduzir a sua presença militar na Base das Lajes, Terceira.

Uma fonte do executivo açoriano adiantou à agência Lusa que a deslocação, de três dias, de Vasco Cordeiro “foi do conhecimento antecipado do Governo da República”, acrescentando que o chefe do executivo reuniu com políticos federais e estaduais norte-americanos e das comunidades portuguesas e da diáspora açoriana.

Na sua deslocação, que se iniciou na quarta-feira, Vasco Cordeiro manteve ainda contactos com responsáveis que têm estado “envolvidos mais de perto no processo de decisão sobre a presença militar americana na base das Lajes”, nomeadamente ao nível dos Departamentos da Defesa e de Estado.

Um desses encontros foi com o embaixador de Portugal em Washington, mas, segundo a mesma fonte, Vasco Cordeiro reuniu também com os congressistas Devin Nunes (Califórnia) e James McGovern (Massachussets).

Ainda em Washington, encontrou-se com o congressista William Keating (Massachussets) e com os senadores Jack Reed (Rhode Island) e Sheldon Whitehouse (Rhode Island).

O presidente do Governo Regional reuniu-se igualmente com Jim Costa (congressista da Califórnia) e com Kathleen Doherty, responsável do Departamento de Estado para os assuntos com Portugal e que representa os EUA na Comissão Bilateral Permanente.

Nos EUA, Vasco Cordeiro manteve também contactos com representantes do Departamento da Defesa ligados ao dossier das Lajes, entre outros responsáveis, acrescentou a mesma fonte.

No início do mês, na sua primeira audiência institucional com o Presidente da República, o chefe do executivo regional reafirmou que é responsabilidade dos Estados Unidos "lidar com o impacto" da redução da presença norte-americana na Base.

E destacou a "importância de o Estado português assumir plenamente a defesa dos interesses dos trabalhadores e das suas famílias" na Terceira.

Os Estados Unidos informaram a 19 de novembro Portugal sobre uma forte redução da presença na Base das Lajes com eventuais consequências negativas no futuro económico da região.

Na sequência da reunião da Comissão Bilateral Permanente entre Portugal e os Estados Unidos, “convocada pelo Governo português”, realizada na terça-feira no Ministério dos Negócios Estrangeiros, em Lisboa, Portugal voltou a demonstrar “insatisfação” pela diminuição da presença militar norte-americana nas Lajes e pediu para que os trabalhadores sejam informados “com brevidade”.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.