Presidente do Governo dos Açores diz que relatório é "última oportunidade" para base

Presidente do Governo dos Açores diz que relatório é "última oportunidade" para base

 

Lusa/AO Online   Regional   29 de Fev de 2016, 13:35

O presidente do Governo dos Açores, Vasco Cordeiro, disse hoje que a apresentação do relatório sobre a possibilidade de novos usos da base das Lajes "será a última oportunidade" para uma "boa saída" para aquela infraestrutura militar.

 

“A lei do Orçamento de Defesa dos Estados Unidos para 2016 estabelece que, até ao dia 01 de março, o Departamento de Defesa deverá apresentar um relatório sobre possibilidades de novos usos da base das Lajes”, afirmou Vasco Cordeiro, em Ponta Delgada, ilha de São Miguel.

Questionado sobre as expectativas para esta matéria, Vasco Cordeiro respondeu: “Naturalmente, dentro dos termos do atual Acordo de Cooperação e Defesa entre Portugal e os Estados Unidos, presumo que essa será a última oportunidade para, dentro do quadro desse acordo, podermos ter uma boa saída para essa situação”.

A 08 de janeiro de 2015, o secretário da Defesa dos Estados Unidos, Chuck Hagel, anunciou uma redução de 500 militares na base das Lajes, estando o Congresso e o Departamento de Defesa a preparar relatórios que vão decidir o futuro da base.

No mês passado, o porta-voz do Pentágono, Eric Badger, disse à Lusa que o primeiro relatório a ser conhecido será o do Departamento de Defesa, exigido pela lei de Orçamento das Forças, que deverá incluir uma avaliação das valências da base e da sua capacidade de receber um centro de informações e que tem de estar pronto até dia 01 de março.

Em junho de 2015, a Lusa noticiou uma série de iniciativas legislativas da Câmara dos Representantes que suspendem a construção do complexo no Reino Unido até ser provado que as Lajes não podem cumprir essa função.

No orçamento militar dos EUA, ficou estabelecido que "nenhum montante deve ser utilizado na construção do Centro de Análise Conjunta de Informações, na base aérea de Croughton, no Reino Unido, conforme secção 2301(b), até a secretaria de Defesa certificar os comités de defesa da Câmara que determinou, com base numa análise dos requisitos operacionais, que esta localização permanece a localização ótima."

Sobre as Lajes, o documento diz ainda que o relatório deve incluir uma explicação para os fundamentos da decisão, bem como uma avaliação das capacidades das Lajes para acolher treinos de pilotos de caça e a presença rotativa de forças navais.

O segundo relatório está a ser elaborado pela Câmara dos Representantes e investiga a manipulação de estudos que justificam a construção deste centro de informações em Inglaterra.

"Não há um prazo definido para a sua conclusão. Neste momento é difícil dizer quando tempo pode demorar", disse à Lusa uma fonte do Comité de Supervisão, que está a liderar a investigação.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.