Presidente do BCE "triste"

Presidente do BCE "triste"

 

Lusa/AO Online   Internacional   19 de Dez de 2011, 05:34

O presidente do Banco Central Europeu (BCE), Mario Draghi, disse, em entrevista ao Financial Times, que é "triste" a situação entre o Reino Unido e certos países da União Europeia, depois do veto britânico à reforma dos tratados europeus.

"É triste. Penso que o Reino Unido precisa da Europa e que a Europa precisa do Reino Unido", afirmou Draghi ao Financial Times numa entrevista que vai ser publicada segunda-feira.

Na Cimeira Europeia de 08 e 09 de dezembro, o primeiro-ministro britânico não concordou com um novo tratado europeu para salvar o euro, invocando a salvaguarda dos interesses da praça financeira londrina, a maior da Europa.

Mario Draghi entende que "destruindo a credibilidade do BCE" não é possível restaurar a confiança na Zona Euro.

"O importante é restaurar a confiança das pessoas, tanto cidadãos como investidores, no nosso continente", acrescentando que "a política monetária não pode fazer tudo" para limitar as tensões no mercado de dívida.

Mário Draghi considerou que a ação do BCE no mercado obrigacionista, onde tem a capacidade de fazer baixar as taxas dos países mais fracos da Zona Euro, tem limites, uma vez que o custo do crédito para os países “depende, em certa medida, não da política de taxas de curto prazo do BCE mas dos ‘spreads’ das taxas” no mercado.

O presidente do BCE fala numa altura em que as agências de 'rating' ameaçam baixar a nota de vários países da Zona Euro, na sequência de uma cimeira em que desunião com o Reino Unido alimentou alguma deceção.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.