Presidente da República lamenta mortes e elogia ministro da Saúde


 

Lusa/AO online   Nacional   10 de Nov de 2014, 13:49

O Presidente da República, Aníbal Cavaco Silva, lamentou a morte de pessoas infetadas com legionella, deixando uma "palavra de solidariedade" para com os familiares das vítimas e destacando o "excelente trabalho" do ministro da Saúde.

 

“Não posso deixar de lamentar as mortes que ocorreram e dirigir uma palavra de solidariedade em relação às famílias”, disse.

Nesta matéria, afirmou, "nós temos que confiar que as nossas autoridades e todos os que trabalham na área sanitária estão a dar o seu melhor para conseguir apoiar, ajudar e tratar aqueles que estão afetados”.

O Presidente da República destacou que o ministro da Saúde, Paulo Macedo, está a fazer um “excelente trabalho” ao explicar aos portugueses a origem e evolução deste surto que “ultrapassa aquilo que é normal”.

O chefe de Estado falava aos jornalistas no final de uma visita ao Alentejo, com passagens pelos concelhos de Estremoz e Borba.

O surto da doença do Legionário foi detetado na sexta-feira no concelho de Vila Franca de Xira, tendo já provocado a infeção em 233 pessoas e a morte de cinco.

A legionella encontra-se em ambientes aquáticos naturais e também em sistemas artificiais, como redes de abastecimento e distribuição de água, redes prediais de água quente e água fria, ar condicionado e sistemas de arrefecimento (torres de refrigeração, condensadores evaporativos e humidificadores) existentes em edifícios, como hotéis, termas, centros comerciais e hospitais.

Esta bactéria pode ainda existir em fontes ornamentais e tanques recreativos, como jacuzzis.

A infeção transmite-se por inalação de gotículas de vapor de água contaminada (aerossóis) de dimensões tão pequenas que transportam a bactéria para os pulmões, depositando-a nos alvéolos pulmonares.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.