Presidente da Portos dos Açores diz ter condições para cumprir novo mandato

Presidente da Portos dos Açores diz ter condições para cumprir novo mandato

 

Lusa/AO Online   Regional   4 de Jun de 2015, 13:47

O presidente do Conselho de Administração da empresa pública açoriana Portos dos Açores afirmou hoje ter condições para aceitar o convite que lhe foi feito para cumprir um novo mandato, apesar das críticas dos partidos da oposição.

“Se não tivesse condições para continuar no cargo com certeza que não aceitaria o convite que me foi feito”, disse Fernando Nascimento, em resposta ao deputado social-democrata Jorge Macedo, que lhe perguntou se se sentia com “condições técnicas, políticas e morais” para aceitar ser reconduzido no cargo.

Fernando Nascimento foi hoje ouvido na comissão de Economia do parlamento dos Açores sobre a sua recondução à frente da empresa pública Portos dos Açores, S.A.

O atual presidente do Conselho de Administração da empresa precisou que o convite do Governo Regional para um novo mandato “foi feito antes da saída do relatório” do Gabinete de Prevenção e Investigação de Acidentes Marítimos sobre o acidente mortal ocorrido no porto de São Roque do Pico em novembro de 2014.

O documento divulgado na terça-feira concluiu que o acidente em São Roque do Pico, em que morreu um passageiro de um barco da empresa Transmaçor por ter sido atingido por um cabeço de amarração que rebentou, ficou a dever-se a uma série de fatores, nomeadamente a "ausência continuada de manutenção" dos cabeços de amarração ("ao longo dos mais de 30 anos de existência e trabalho dos cabeços") por parte da empresa Portos dos Açores, a utilização de cabos de amarração "sobredimensionados" e a forte ondulação.

Fernando Nascimento limitou-se a dizer que à data dos acontecimentos “não havia manutenção sistemática”, os procedimentos internos passavam pela “inspeção visual, mas sem registo” das infraestruturas portuárias e que “há um conjunto de relatórios que não são conhecidos que têm diferentes conclusões e opiniões”.

Depois de ser conhecido o relatório, o secretário regional dos Transportes dos Açores, Vítor Fraga, disse que a região está a reforçar as condições de segurança nos portos e descartou responsabilidades políticas ou algum tipo de negligência neste caso.

Sobre este assunto, o presidente do Governo dos Açores, Vasco Cordeiro, disse que a “responsabilidade política” do executivo em relação ao acidente mortal num porto do Pico é “fazer tudo” para que a situação não se volte a repetir.

No entanto, para o BE/Açores, impõe-se a demissão de Vítor Fraga e Fernando Nascimento não devia ser reconduzido no cargo, dada a "negligência e incúria" que demonstrou.

Também o PSD/Açores é contra a recondução de Fernando Nascimento para um novo mandato.

Segundo disse Fernando Nascimento, a Portos dos Açores tem 262 trabalhadores, gere 14 portos e sete gares de passageiros, tendo infraestruturas nas nove ilhas dos Açores.

O presidente do Conselho de Administração da Portos dos Açores S.A falou a partir da sede do parlamento, na ilha do Faial, tendo recusado prestar mais declarações aos jornalistas à saída, alegando que não tinha mais nada a acrescentar para além do que havia dito na audição.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.