Presidente chinês considera recuperação económico "instável"


 

Lusa/AO On line   Nacional   7 de Nov de 2010, 06:38

O Presidente da República chinês, Hu Jintao, considerou hoje em Lisboa que a recuperação da economia global está a decorrer de forma instável e destacou a importância do reforço das relações bilaterais entre a China e Portugal.

“Atualmente, a situação internacional está a sofrer mudanças complexas e profundas, com a recuperação económica mundial ainda instável”, afirmou Hu Jintao, num banquete de Estado em sua honra, para marcar a visita oficial do líder chinês a Portugal, que hoje começou.

“O facto de promovermos o desenvolvimento das relações sino-portuguesas e de estreitamos a cooperação pragmática bilateral corresponde aos interesses fundamentais dos dois países e dos dois povos”, acrescentou o presidente chinês, num banquete oferecido pelo presidente português, Cavaco Silva.

O líder chinês considerou ainda que “a cooperação amistosa sino-portuguesa dispõe de um firme alicerce político e uma ampla perspetiva de desenvolvimento” e referiu que, nas conversações entre Hu e Cavaco, anteriores ao banquete, os dois presidentes alcançaram “amplo consenso sobre as relações bilaterais e outras questões de interesse comum”.

Por seu lado, o Presidente português elogiou as reformas chinesas e a cada vez maior integração da China no sistema económico global.

“As reformas internas, a abertura e a crescente participação da China no sistema económico e financeiro mundial proporcionaram-lhe, nas três últimas décadas, índices notáveis de crescimento económico, com reflexos no nível e na qualidade de vida dos seus cidadãos”, realçou Cavaco Silva.

O líder chinês iniciou hoje uma visita de dois dias de visita a Portugal, sendo o primeiro presidente chinês a visitar Portugal em mais de uma década.

Para além do encontro de hoje com o homólogo português, Hu Jintao vai também ter encontros com o primeiro-ministro, José Sócrates, e com o ministro dos Negócios Estrangeiros, Luís Amado, entre outras autoridades e com a comunidade chinesa em Portugal.

Durante a deslocação a Portugal, Hu deverá assinar acordos de âmbito empresarial nas áreas da energia, alimentação, banca e indústria transformadora.

A nível institucional, os dois países preparam-se para assinar uma declaração, no âmbito da Parceria Estratégica luso-chinesa, visando o reforço da cooperação económica entre ambos e um acordo no domínio do turismo, para além de um programa de cooperação nos domínios da cultura, língua, educação, ensino superior, ciência e tecnologia e desporto.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.