Preços a retalho no Reino Unido subirão após 'brexit'

Preços a retalho no Reino Unido subirão após 'brexit'

 

Lusa/AO online   Internacional   26 de Dez de 2017, 09:59

Os consumidores do Reino Unido vão enfrentar uma subida dos preços depois do ‘brexit’ caso o país não faça novos acordos comerciais idênticos aos negociados entre a União Europeia e os países terceiros, advertiu hoje o consórcio britânico de Comércio Retalhista.

A conselheira-delegada do consórcio britânico (BRC), Helen Dickinson, advertiu, numa entrevista à emissora britânica BBC Radio 4, que o custo dos produtos de consumo diário, nomeadamente a alimentação e o vestuário, aumentarão logo que se concretize a saída do Reino Unido e da União Europeia, uma vez que este país perderá os acordos preferenciais que possui com os países-membros do bloco comunitário.

Uma diretiva comunitária estabelece ainda que o Reino Unido beneficia de taxas alfandegárias nulas ou taxas alfandegárias baixas sobre as importações devido aos acordos de comércio preferencial estabelecidos entre a União Europeia e 73 países fora do bloco comunitário.

Estes acordos terminarão no momento em que este país perder o vínculo com os 27 Estados-membros da União Europeia.

“A 29 de março de 2019 ficaremos fora de todos os acordos. A partir de então, esses acordos preferenciais deixarão de aplicar-se ao Reino Unido”, disse Dickinson em declarações hoje à BBC Radio 4.

A conselheira-delegada do BRC realçou também que “o que é importante, desde agora até 2019, é prosseguir com trabalho que o Reino Unido tem entre mãos, isto é, centrar-se em assinar novos acordos preferenciais idênticos aos atualmente existentes”.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.