Praia da Vitória promove festival de vinhos com formação para desenvolver enoturismo

Praia da Vitória promove festival de vinhos com formação para desenvolver enoturismo

 

Lusa/AO Online   Regional   23 de Fev de 2017, 18:52

O município da Praia da Vitória, nos Açores, anunciou hoje a realização de um festival de vinhos, de 07 a 10 de abril, que terá também uma componente formativa, para promover os vinhos locais.

"Sabemos que o enoturismo é um segmento fundamental, sabemos que é possível acrescentar valor à mesa, além da componente gastronómica, com a venda dos vinhos, e portanto temos uma exposição de vinhos e todo um programa direcionado aos profissionais, quer de hotelaria, quer da restauração", salientou o vereador Tibério Dinis, numa conferência de imprensa.

O Praia Wine Festival, que será o primeiro festival de vinhos da ilha Terceira, inclui ainda um jantar vínico, um passeio interpretativo pela zona vinícola dos Biscoitos, provas e cursos de vinhos, bem como animação musical.

O evento, que contará com vinhos de todas as regiões do país, é organizado numa parceria entre a autarquia e o Clube de Golfe da Ilha Terceira, onde decorre o festival.

Para Luís Mendes, do clube de golfe, a componente formativa é importante para incentivar a restauração e a hotelaria a utilizar produtos açorianos.

"O que nós notamos é que chegamos a um restaurante e às vezes não há vinho dos Açores, e quando há as pessoas muitas vezes não sabem explicar com que tipo de comida servirá melhor. Esse tipo de formação dedicada aos profissionais é fundamental", frisou.

O vinho dos Açores é habitualmente mais caro do que o de outras regiões, porque cresce em curraletas que não permitem mecanização e é produzido em pequenas quantidades.

Luís Mendes considerou, no entanto, que o preço não é um constrangimento para o enoturista, desde que quem venda o vinho saiba explicar as suas características.

"O vinho é uma expressão da terra e quem vem cá vem é para usufruir da nossa terra, do nosso ambiente e dos nossos vinhos", salientou, realçando a acidez elevada e a quantidade de iodo acima do normal dos vinhos açorianos.

Para Tibério Dinis, ainda há um "longo percurso a fazer" na promoção do enoturismo na ilha Terceira, mas têm sido dados passos importantes e há potencial.

"Há toda uma dinâmica em torno da uva e do vinho que é possível potenciar, desde a própria paisagem, que é muito característica, passando pelos museus, pela cultura - das pessoas que trabalhavam o vinho, o modo como trabalhavam. Contar a história do vinho nos Biscoitos é extraordinário. É muito peculiar", frisou.

Também o secretário-geral da Associação de Municípios Portugueses do Vinho (AMPV), José Arruda, destacou o potencial do enoturismo em Portugal, defendendo que é necessário organizar a oferta existente nos Açores.

"O turista tem necessidade de saber antecipadamente o que é que pode visitar, o que é que pode marcar na sua visita. E nós temos de ter essa oferta completamente definida e estruturada", frisou.

Segundo José Arruda, estima-se que haja no mundo mais de seis milhões de pessoas interessadas em enoturismo e há estudos que indicam que Portugal já é mais procurado pela gastronomia e pelos vinhos do que pelas praias e pelo sol.

Os Açores têm três zonas vitivinícolas: a ilha do Pico, a ilha Graciosa e os Biscoitos, na ilha Terceira.

 

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.