PR garante em Estrasburgo estabilidade em Portugal apesar da mudança política

PR garante em Estrasburgo estabilidade em Portugal apesar da mudança política

 

Lusa/AO Online   Internacional   13 de Abr de 2016, 10:59

O Presidente da República garantiu hoje, no Parlamento Europeu, em Estrasburgo, que, embora seja de "uma área doutrinária" distinta da nova maioria parlamentar em Portugal, zelará pela "estabilidade e recusa de crises políticas", desejando "pleno sucesso" ao Governo.

 

Discursando perante a assembleia europeia, naquela que é a sua segunda deslocação ao estrangeiro desde que tomou posse, a 09 de março, Marcelo Rebelo de Sousa lembrou o programa de ajustamento em Portugal entre 2011 e 2014, que "testou a capacidade histórica dos portugueses para resistirem às crises e aos sacrifícios pessoais de modo a que os equilíbrios financeiros interno e externo pudessem vingar" e apontou que agora começou a ser percorrido "um caminho diverso", mas conduzido por "um Governo também europeísta".

"Como Presidente da República Portuguesa, orgulho-me de estar aqui hoje perante esta assembleia e poder dizer: a Europa não faltou no auxílio a Portugal e Portugal honrou os seus compromissos, saindo de forma limpa do Programa de Ajustamento”, disse o chefe de Estado.

Para Marcelo Rebelo de Sousa, “hoje, Portugal quer continuar a garantir os equilíbrios financeiros, procurando, ao mesmo tempo, começar a compensar setores sociais mais sacrificados no passado recente e acreditando que, além do investimento privado e das exportações, também o consumo das famílias pode ajudar a criar crescimento e emprego".

O chefe de Estado comentou então que se trata de "um caminho que visa as mesmas metas macroeconómicas e financeiras mas que é em parte diverso do anterior", referindo que também é "conduzido por um Governo também europeísta, respeitador dos compromissos internacionalmente assumidos, apoiado no Parlamento não só por uma das duas principais famílias políticas europeias (PS), mas também por partidos de outra relevante família europeia, que, até agora, tinham estado fora da área do poder executivo constitucional em Portugal", PCP e Bloco de Esquerda.

"Ainda que com raízes que vêm de área doutrinária diversa daquelas em que se insere a atual maioria parlamentar, como Presidente de todos os portugueses, que sou, sinto que é essencial pacificar, desdramatizar, cicatrizar feridas, reconstruir consensos. A minha mensagem é, pois, clara: estabilidade, recusa de crises políticas a somar às questões económicas e sociais, procura de convergências alargadas, reforço do sistema financeiro - de que um passo recente pode ser um bom sinal - (...) e o desejo sincero de que tenha pleno sucesso o caminho exigente de compatibilização entre rigor financeiro e preocupações sociais, assentes em crescimento também pelo dinamismo do mercado interno", declarou Marcelo Rebelo de Sousa.

 

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.