PR aconselha "alguns políticos" a fazerem "o trabalho de casa" sobre data das eleições

PR aconselha "alguns políticos" a fazerem "o trabalho de casa" sobre data das eleições

 

Lusa/AO online   Nacional   10 de Nov de 2014, 13:45

O Presidente da República, Aníbal Cavaco Silva, aconselhou "alguns políticos" a fazerem "o trabalho de casa" antes de falarem de "certos assuntos", em resposta aos que o criticaram por rejeitar antecipar a data das legislativas.

 

"É importante lembrar alguns políticos que quando falam de certos assuntos devem estudar primeiro. Devem estudar o que diz a Constituição, o que dizem as leis, como é que as leis foram aprovadas e como é que esses assuntos são tratados nos países da Europa comunitária", afirmou.

O chefe de Estado falava aos jornalistas, no final de uma visita aos concelhos de Borba e Estremoz (Évora), ao ser questionado sobre as críticas de dirigentes do PS a propósito da sua entrevista ao semanário Expresso, em que garantiu que irá respeitar a lei e a Constituição na marcação das legislativas do próximo ano.

O PS, através do dirigente Vieira da Silva, considerou no sábado que o Presidente da República "escolheu mais uma vez estar de acordo com o Governo" ao afirmar que só antecipará as eleições legislativas se a lei for alterada ou se houver uma "grave crise política".

No domingo, o líder parlamentar do PS, Ferro Rodrigues, reagiu à entrevista de Cavaco Silva dizendo que o "bom senso está ausente ao mais alto nível".

Hoje, Cavaco Silva disse ter notado, por algumas declarações que foram feitas, que "alguns políticos até nem sabiam que a lei" aprovada, em 1999, sobre a data das eleições, "tinha sido imposta pelo PS, PCP e Verdes" e "contra a opinião do PSD e do CDS-PP".

"É bom fazer o trabalho de casa de vez em quando", referiu, acrescentando que "parece que há até alguns políticos que não conhecem o artigo 133.º da Constituição", que "diz o Presidente da República tem que fixar a data das eleições de acordo com a lei eleitoral".

Na entrevista ao Expresso, Cavaco Silva reiterou que "se a Assembleia da República não mudar a lei eleitoral que aprovou em 1999 e se não ocorrer uma grave crise política que ponha em causa a governabilidade, então as próximas eleições legislativas terão lugar em 2015, entre 14 de setembro e 14 de outubro".

Nos últimos tempos, a oposição em bloco tem reclamado a antecipação das eleições legislativas, mas os líderes da maioria PSD e CDS-PP, Pedro Passos Coelho e Paulo Portas, já recusaram essa possibilidade.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.