PPM interpela Governo dos Açores sobre “caos” na transportadora aérea SATA

PPM interpela Governo dos Açores sobre “caos” na transportadora aérea SATA

 

Lusa/AO Online   Regional   2 de Ago de 2017, 12:48

O Partido Popular Monárquico (PPM) anunciou hoje que vai interpelar o Governo dos Açores, do PS, no plenário de setembro do parlamento regional, sobre o “caos” na transportadora aérea SATA.

À agência Lusa, o deputado único do PPM na Assembleia Legislativa Regional, onde os socialistas têm a maioria, justificou a iniciativa com os cancelamentos e atrasos permanentes, o bloqueio da mobilidade dos açorianos e os problemas técnicos na operação da SATA.

“A interpelação tem a ver com os voos cancelados, os atrasos permanentes que acontecem num grande conjunto de voos e a incapacidade de resposta da empresa que leva a subcontratação de aeronaves e a negócios ruinosos para a companhia”, afirmou Paulo Estêvão.

Desde junho, vários incidentes, mas também problemas técnicos, têm condicionado a operação da transportadora SATA, detida pela Região Autónoma dos Açores, o que tem motivado críticas de passageiros e de outras entidades.

Paulo Estêvão disse que a interpelação visa também obter esclarecimentos sobre “o bloqueio da mobilidade dos açorianos”, explicando que, “neste momento, por exemplo, no grupo ocidental do arquipélago, ilhas das Flores e Corvo, os voos estão cheios e não há ligações extraordinárias”.

O parlamentar, eleito pelo círculo do Corvo, quer ainda informações sobre “as avarias e problemas técnicos nas aeronaves, que levam a mais cancelamentos e atrasos nos voos”.

“Outra coisa que é gravíssima é a descoordenação geral da empresa e é um risco enorme viajar na SATA para quem tem de fazer ligação noutro voo de outra transportadora”, adiantou Paulo Estêvão, salientando que o “caos” se prende com as ligações dentro do arquipélago e nos voos de e para fora dos Açores.

Para o deputado, o executivo açoriano “tem muito a explicar”, referindo que não basta ao seu presidente, Vasco Cordeiro, “dizer que a situação é grave”.

“O Governo Regional nomeou o conselho de administração e se as coisas não estão a funcionar deve procurar alterar o funcionamento da empresa, procurar os responsáveis e substituir quem demonstrou incapacidade e incompetência”, defendeu.

Na segunda-feira, Vasco Cordeiro reconheceu que a operação da SATA está a causar “perturbação e incómodo” e garantiu que tudo fará para que a companhia continue a servir o arquipélago.

“Obviamente que ninguém pode, em boa consciência, em bom rigor, dizer que a operação está a correr às mil maravilhas. Não está. Está a causar perturbação e incómodo, desde logo aos passageiros”, afirmou o chefe do executivo, destacando ser importante que “se trabalhe para poder repor a normalidade nessa operação o mais rapidamente possível”, o que, segundo disse, a transportadora está a fazer.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.