Açores/Eleições

PPM defende proximidade dos deputados com ilhas por onde são eleitos

PPM defende proximidade dos deputados com ilhas por onde são eleitos

 

Lusa/AO Online   Regional   4 de Out de 2016, 13:03

O cabeça de lista do PPM pela ilha do Corvo defendeu hoje a necessidade de os deputados regionais realizarem no parlamento dos Açores um "trabalho de proximidade" com as localidades dos círculos de ilha pelos quais são eleitos.

 

“Há legislação de âmbito regional que é debatida no parlamento. No caso dos problemas de ilha, como os parlamentares não apresentam as questões específicas pelos círculos eleitorais por onde foram eleitos, não há discussão. Estamos a tentar transmitir que é necessário desenvolver um trabalho de maior ambição e proximidade”, declarou à agência Lusa Paulo Estêvão.

O também líder do PPM - que dedica hoje o terceiro dia de campanha para as eleições regionais de 16 de outubro a explicar à população do Corvo, por onde foi eleito, os mecanismos através dos quais se defende a ilha no parlamento - explicou que se está a falar de “pequenas comunidades” em que o deputado é “confrontado com problemas que é necessário resolver".

Paulo Estêvão acrescentou que é necessário promover a recolha desta informação, o que “não tem sido feito”, inviabilizando-se assim a apresentação de propostas e requerimentos por parte dos deputados.

O candidato, que afirmou que tem vindo a privilegiar os problemas locais, referiu que produziu na última legislatura 145 requerimentos a questionar o Governo dos Açores sobre vários assuntos, ou seja, “metade do que fez o PSD”, com 20 deputados regionais.

Em muitos círculos eleitorais, sublinhou, "não foi apresentada uma única proposta” pelos deputados relativas às ilhas pelas quais foram eleitos, e PS como o PSD “só apresentaram medidas" sobre problemas específicos das ilhas em São Miguel e Terceira, “em pequena quantidade”.

O candidato referiu que outra das suas prioridades passa por modificar o sistema eleitoral na região, combatendo-se o "afastamento das pessoas" em relação à política e renovando o regime.

Paulo Estêvão propõe o alargamento de candidaturas a um leque maior de cidadãos que possam apresentar candidaturas independentes dos partidos.

Para a votação de dia 16 estão inscritos cerca de 228 mil eleitores que vão escolher os 57 deputados à Assembleia Legislativa da Região Autónoma dos Açores para os próximos quatro anos.

De acordo com os resultados das eleições, o representante da República nomeia depois o presidente do Governo Regional, que, por sua vez, propõe os membros do executivo.

Treze forças políticas apresentam-se a votos, mas nem todas concorrem nos dez círculos eleitorais. Apenas aos círculos de São Miguel, que elege 20 deputados, e de compensação, que elege cinco, concorrem todas.

Nas últimas eleições regionais, realizadas a 14 de outubro de 2012, o PS venceu com maioria absoluta (49,02%) e elegeu 31 deputados, seguido do PSD, com 20 mandatos (33,01%) e CDS-PP com três (5,67%). BE (2,25%), CDU (1,9%) e PPM (0,08%) elegeram um parlamentar cada.

 

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.