Açores/Eleições

PPM apela a decisão que resolva "graves constrangimentos" no aeroporto do Faial

PPM apela a decisão que resolva "graves constrangimentos" no aeroporto do Faial

 

Lusa/AO Online   Regional   3 de Out de 2016, 12:05

O líder do PPM/Açores, Paulo Estêvão, desafiou hoje PS, PCP e BE, com "a maioria parlamentar em Lisboa", para tomarem "uma decisão politica" antes das eleições regionais que permita reverter a situação de "graves constrangimentos" no aeroporto do Faial.

 

“Lançamos um desafio ao PS, PCP e BE (…), para que possam reverter a posição de saída da TAP (…) das ligações aéreas entre o exterior e a ilha do Faial”, afirmou Paulo Estêvão, que se recandidata às eleições regionais de 16 de outubro, em declarações à agência Lusa.

A candidatura do PPM esteve esta manhã no aeroporto do Faial a alertar para “os enormes constrangimentos que têm vindo a ser provocados" no tráfego do aeroporto, com "graves prejuízos" para o turismo e para os residentes naquela ilha do grupo Central do arquipélago, apontando para "a instabilidade" que se vive nas ligações aéreas entre aquela ilha e o exterior do arquipélago.

“O que nós queremos é que a TAP volte a voar para o Faial e retome as ligações que aqui mantinha. Esta decisão foi tomada no tempo de um Governo do PSD e agora, que o Estado tem novamente o controlo da TAP, é fundamental que se tome uma decisão politica e estratégica para assegurar que a TAP possa voltar a voar para o Faial”, defendeu Paulo Estêvão, que esteve em campanha com o cabeça-de-lista pela ilha do Faial, Manuel Humberto João.

Para o líder do PPM, "é tempo" de o Governo da República "se deixar de conversas" e assumir "uma decisão claríssima" sobre a matéria antes das eleições "para que possam ser dadas instruções à TAP" no sentido de a transportadora retomar as ligações com o Faial.

No segundo dia de campanha eleitoral para as eleições nos Açores, Paulo Estêvão, que foi eleito nos últimos dois mandatos, disse que o PPM assume o compromisso com a população da ilha do Faial "de ampliação da pista" e "o restabelecimento" das ligações regulares da TAP.

"Da parte do PPM, só viabilizaremos a formação de um Governo Regional nos Açores, se de nós depender, se esta obra estiver garantida por parte do Governo que entrar em funções", afirmou Paulo Estêvão, alertando para "a instabilidade" das ligações aéreas na ilha do Faial, com "voos desviados, ligações alteradas", desde que a TAP deixou de voar para o Faial.

O candidato afirmou ainda que existe "um compromisso do PS há longos anos", mas "nunca" se concretizou a ampliação da pista.

No início de setembro, cerca de 400 pessoas manifestaram-se em frente à sede do Parlamento dos Açores, reivindicando a ampliação da pista do aeroporto da Horta, que tem registado um número elevado de cancelamentos de voos nas ligações aéreas com Lisboa.

"Durante o verão tivemos um número extraordinário de ligações que não se concretizaram, única e exclusivamente porque a TAP deixou de fazer ligações, tendo o Governo Regional assegurado que a SATA ia manter as ligações. A verdade é que isto não aconteceu, porque houve um número de voos alterados, voos desviados para outras ilhas", afirmou o líder do PPM.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.