Saúde

Posição dos fornecedores de medicamentos "não é razoável"

Posição dos fornecedores de medicamentos "não é razoável"

 

Lusa/AO online   Regional   14 de Dez de 2011, 11:47

O secretário regional da Saúde, Miguel Correia, reconheceu a existência de problemas com fornecedores de medicamentos nas unidades de saúde dos Açores, mas considerou que “não é razoável” a suspensão do fornecimento decidida por algumas empresas.
“Esta posição não é razoável, tendo em conta que existem prazos muito mais alargados no continente, onde há hospitais que pagam medicamentos aos fornecedores a 900 dias, quando nós pagamos a pouco mais de 120 dias”, afirmou Miguel Correia.

O secretário regional da Saúde, que comentava a decisão de alguns fornecedores de medicamentos de suspender o abastecimento a unidades de saúde da região na sequência dos atrasos nos pagamentos, considerou que “existe margem para entendimento e para alguma cedência por parte dos fornecedores de medicamentos”.

“Não se compreende como é que no continente se praticam prazos tão alargados no fornecimento de medicamentos a crédito e nos Açores, por passarmos os 120 dias, procede-se logo à suspensão de fornecimentos”, salientou.

Miguel Correia considerou “urgente” a resolução desta questão, salientando que o problema vai ser analisado em reuniões da SAUDAÇOR, empresa de capitais públicos regionais que gere o sector da saúde, e os fornecedores de medicamentos.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.