Portugal lança campanha de promoção junto de turistas chineses

Portugal lança campanha de promoção junto de turistas chineses

 

Lusa / AO online   Economia   5 de Set de 2010, 13:43

O secretário de Estado do Turismo, Bernardo Trindade, abre na segunda feira em Xangai uma campanha de promoção de Portugal na China, país que esta década deverá tornar-se a maior fonte mundial de turistas.

A iniciativa decorrerá durante dois dias no Pavilhão de Portugal na Expo 2010, com operadores turísticos e jornalistas chineses do sector.

Segundo os organizadores, a campanha “surge em coerência com o Plano Estratégico Nacional de Turismo, no qual a China é identificada como um mercado de diversificação para o turismo nacional”.

Cerca de 47 milhões de chineses viajaram para fora da China em 2009 e, pelas estimativas da Organização Mundial do Turismo, o número chegará aos 100 milhões em 2010.

A operação em Xangai coincide com o anunciado aumento das receitas do turismo em Portugal, que no primeiro semestre desde ano subiram 7 por cento em relação a igual período de 2009.

”2010 é um ano de recuperação do setor (…) As indicações mais recentes vindas das regiões turísticas mais importantes, o Algarve, Lisboa e a Madeira apontam para um ano turístico muito positivo o que é muito importante para a recuperação da economia”, disse o primeiro ministro, José Sócrates, na sexta feira passada.

A Expo 2010, dedicada ao tema “Better City, Better Life” (Melhores Cidades, Maior Qualidade de Vida), decorre de 01 de maio a 31 de outubro numa área de 528 hectares (dez vezes a Expo 98, em Lisboa), ao longo das duas margens do rio de atravessa Xangai.

É a maior exposição universal de sempre, com a participação de cerca de 240 países e organizações internacionais.

O número de visitantes atingiu no sábado passado os 43,4 milhões e até ao final do certame os organizadores esperaram chegar ao prometido recorde de 70 milhões – mais seis milhões que Osaka, Japão, em 1974.

Portugal está representado por um pavilhão de 2000 metros quadrados, todo revestido de cortiça, cujo conteúdo evidencia os 500 anos de contactos com a China e a atual “aposta portuguesa nas energias renováveis”.

“É uma simbiose entre o que fomos e o que pretendemos ser”, diz o comissário geral de Portugal na Expo 2010, Rolando Borges Martins.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.