Euro2012

Portugal empata e espelha desnorte reinante

Portugal empata e espelha desnorte reinante

 

Lusa/AO online   Futebol   3 de Set de 2010, 22:18

A selecção portuguesa de futebol foi surpreendida pelo Chipre e empatou 4-4 com a modesta selecção cipriota, em encontro da jornada inaugural do grupo H da fase de apuramento para o Europeu de 2012
A selecção portuguesa de futebol deu sequência ao desnorte reinante no seio da Federação e jogou em Guimarães sem ideias e desorganizada, empatando 4-4 com o Chipre, no início da fase de qualificação para o Euro2012.
Até então com um saldo de 23 golos marcados e dois sofridos ante o Chipre (oito vitórias em oito jogos), Portugal esteve a perder por duas vezes, nunca conseguiu mostrar qualquer sinal de união e apresentou, tão somente, jogadas individuais, isto depois de uma campanha pouco entusiasmante no Mundial da África do Sul.
O golo cipriota no final da partida, com um 4-3 favorável, diz quase tudo sobre o que se passa no futebol português.
No início de uma caminhada que procura a quinta presença consecutiva em Europeus, Portugal foi quase sempre uma equipa ausente, tal como ausentes estiveram o seleccionador Carlos Queiroz, suspenso (assistiu da bancada), Cristiano Ronaldo, lesionado, e o presidente da Federação, Gilberto Madaíl, este por motivos de doença.
Com Quaresma e Manuel Fernandes de regresso ao “onze” dois anos depois, e com Agostinho Oliveira no papel de seleccionador principal, a equipa lusa soube, contudo, lutar pela conquista dos três pontos, ainda que, quase sempre, da pior forma possível: fogachos de um ou outro.
Os vários erros ofensivos no final, o desastre defensivo e escolhas que levantam muitas dúvidas, foram as causas de um empate comprometedor, ante a 63ª selecção do “ranking” mundial da FIFA.
Aos três minutos, o D. Afonso Henriques, muito despido (9100 espectadores), viu o Chipre marcar em contra-ataque (Aloneftis) e aplaudiu, pela primeira vez, aos oito, o cabeceamento eficaz de Hugo Almeida, a dar a melhor resposta a um cruzamento de Nani.
Muito defensiva, mas a saber jogar em contra ataque, a selecção cipriota voltou a marcar aos 11 minutos, com Constantinou a aproveitar erro tremendo de Raul Meireles, e, depois de driblar Eduardo, caminhar tranquilamente para o golo.
Nervosos, os jogadores portugueses recuperaram da desvantagem com um fantástico golo de Raul Meireles, aos 29 minutos (remate de pé esquerdo), mas apenas na segunda parte deram a volta e estiveram a vencer, deixando-se depois cair em mais um erro infantil e digno de uma equipa de escalões inferiores.
Com um meio campo desorganizado, foi, ainda assim, esta zona do terreno a dar o empate (pelo menos os golos), pois Danny, aos 50 minutos, colocou Portugal a vencer por 3-2, sete minutos antes de Ioannis Okkas voltar a empatar.
Manuel Fernandes, com um remate extraordinário de fora da área, em zona frontal, deu, finalmente, nova possibilidade a Portugal para vencer, mas Andreas Avraam, aos 89 minutos, empatou e sentenciou a partida.
As alterações impostas (sobretudo as entradas de Liedson e João Moutinho para os lugares de Danny e Manuel Fernandes, respectivamente) colocaram Portugal mais perto do golo nos instantes finais e houve até tempo para Hugo Almeida falhar escandalosamente, após assistência de Ricardo Quaresma (exibição bem conseguida) e para o “levezinho” atirar ao poste, lances já na recta final do encontro e antes do golo de Andreas Avraam.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.