Porto Rico alerta para risco de crise humanitária caso demore ajuda dos EUA

Porto Rico alerta para risco de crise humanitária caso demore ajuda dos EUA

 

Lusa/AO online   Internacional   26 de Set de 2017, 12:15

A ajuda humanitária e o abastecimento chegam com dificuldade às zonas mais isoladas de Porto Rico, atingido pelo furacão Maria, sendo que a normalização do abastecimento de energia elétrica é o principal objetivo das autoridades.


O presidente do governo de Porto Rico disse que, cinco dias após a passagem do furacão, metade da ilha corre o risco de uma crise humanitária "que se pode evitar" caso sejam enviados recursos suficientes para enfrentar a situação.

O chefe do governo, Ricardo Rosselló, pediu mesmo ao Congresso dos Estados Unidos para tomar decisões urgentes sobre os planos de recuperação de emergência.

“Precisamos de evitar uma crise humanitária nos Estados Unidos porque Porto Rico é parte dos Estados Unidos”, sublinhou Rosselló, que recordou que há ainda milhares de deslocados.

Apesar de as infraestruturas de abastecimento elétrico permanecerem inativas, Porto Rico está a utilizar as antigas centrais a diesel, o que permite que o principal hospital do país (Centro Médico) esteja a funcionar.

Por outro lado, mais de 200 camiões estão a distribuir combustível todos os dias em vários pontos do país.

A situação no aeroporto internacional Luis Muñoz Marín, de San Juan, é ainda complicada; com voos limitados e centenas de pessoas a pernoitarem no edifício à espera das ligações aéreas, sobretudo em direção aos Estados Unidos.

A segurança nas ruas é também motivo para preocupação devido aos roubos e pilhagens que continuam, principalmente na capital e na zona leste da ilha.

Porto Rico, antiga colónia espanhola nas Caraíbas, é um Estado Associado dos Estados Unidos e os cidadãos porto-riquenhos têm cidadania norte-americana desde 1917.

A Casa Branca tem sido criticada devido à falta de ajuda e sobretudo por comparação com o auxílio que já foi prestado aos Estados do Texas e da Florida, também atingidos por furacões este verão.

Em plena crise provocada pela passagem do furacão Maria, Donald Trump recordou a situação económica da ilha ao afirmar que Washington tem apoiado Porto Rico com milhões de dólares que são enviados “para os bancos de Wall Street” e que “infelizmente” o país tem de saber “lidar com a situação” financeira.

“As situações no Texas e na Florida estão a correr de forma fantástica, mas Porto Rico que já sofria de problemas relacionados com infraestruturas e de uma grande dívida, tem agora um problema profundo”, acrescentou Trump, numa mensagem difundida através da rede social Twitter.

“A rede de abastecimento elétrico já era antiquada e encontrava-se num estado terrível. Foi devastada. Grande parte da ilha foi destruída e há milhões de dólares de dívida em Wall Street e junto dos bancos que, infelizmente, têm de se enfrentar”, disse Trump.

“Os alimentos, a água e os medicamentos são as prioridades e está a fazer-se bem”, concluiu o presidente dos Estados Unidos na mensagem que foi difundida na segunda-feira.

Donald Trump já visitou as regiões do Texas e da Florida atingidas pelo mau tempo, mas adiou a deslocação a Porto Rico que era esperada na semana passada.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.