Portas diz que CDS-PP está em condições de ser terceiro grupo parlamentar


 

Lusa/AO online   Nacional   4 de Out de 2015, 23:24

O presidente centrista, Paulo Portas, afirmou este domingo que o CDS-PP estará em condições de ser o terceiro grupo parlamentar logo após o PSD e o PS, seja sozinho ou ex aequo com o BE.

 

"Tudo indica, à hora a que vos falo, que o CDS, estará em condições de, por si ou ex aequo, ser o terceiro grupo parlamentar, logo após o PSD e o PS", afirmou Paulo Portas, ao lado do presidente social-democrata, Pedro Passos Coelho, no hotel que serviu de "quartel-general" da noite eleitoral da coligação Portugal à Frente.

A eventual fusão dos grupos parlamentares do PSD e do CDS-PP chegou a ser admitida por Passos Coelho no último dia da campanha eleitoral.

Paulo Portas disse saber "que há alterações nas relações de forças à esquerda da esquerda do PS" e que "o BE sai nesse espectro melhor que a CDU", mas sublinhou, contudo, que "a larga maioria do parlamento continua a ser formada pelos partidos do arco da governabilidade".

Nesse sentido, o líder do CDS-PP e vice-primeiro-ministro frisou que a "evolução eleitoral desse setor" da esquerda "não tem nada a ver" com o que já registado em Espanha ou na Grécia.

"Não vale, por isso, a pena apelar a qualquer insurreição. Os portugueses não perdoariam que a sua vontade expressa democraticamente fosse desrespeitada e não compreenderiam que, uma vez apurado o resultado das urnas e distribuídos os seus mandatos, se promovesse qualquer espécie de guerrilha a crédito", disse.

"É tempo de união e é tempo de construção, é tempo de compromisso e é tempo de equilíbrio", acrescentou.



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.