Ponta Delgada tem rede privativa de telecomunicações para aumentar segurança

Ponta Delgada tem rede privativa de telecomunicações para aumentar segurança

 

Lusa/AO Online   Regional   27 de Set de 2016, 16:48

A Câmara de Ponta Delgada, nos Açores, tem desde agosto uma rede móvel privativa de telecomunicações, que visa aumentar a segurança em caso de emergência, num investimento de 160 mil euros, foi hoje anunciado.

“Se, por um lado, estamos mais bem preparados para reagir, também estamos preparados para, de forma preventiva, apresentar Ponta Delgada como um destino turístico de segurança”, afirmou o presidente do município, José Manuel Bolieiro, em conferência de imprensa, que classificou esta rede como “pioneira nos Açores e no país”.

A rede rádio móvel privativa do município de Ponta Delgada, projetada pela GlobalEda, do grupo da elétrica açoriana, está sediada no serviço municipal de Proteção Civil, podendo também ser utilizada pela Polícia Municipal.

Além de garantir a confidencialidade da informação, gravação permanente de todos os dados e a georreferenciação em tempo real de todos os meios operacionais no terreno, o sistema, sem interdependência de qualquer rede pública ou privada, tem baterias que garantem 16 horas de autonomia.

“Estas redes são projetadas para cobrirem 98% da população e, pelo menos, 95% do território que servem, no caso o concelho de Ponta Delgada”, explicou Paulo Moniz, da GlobalEda, acrescentando que esta rede digital disponibiliza a cobertura a partir de quatro pontos (edifício Solmar, no centro da cidade, Sete Cidades, Pico das Éguas e Farol do Cintrão).

Para o presidente do município, esta rede é “mais um conteúdo” para a designada “smart city” e uma “mais-valia competitiva, territorialmente falando, para a oferta de Ponta Delgada enquanto destino turístico seguro”.

“É uma tranquilidade e uma satisfação para mim enquanto responsável ter de dotar o município com esta rede (voz e dados)”, disse José Manuel Bolieiro, acrescentando tratar-se de uma rede “redundante” à existente no arquipélago ao nível da Proteção Civil regional.

Segundo disse o autarca, a rede funciona 24 horas por dia e está a ser equacionada a possibilidade de todas as freguesias do concelho terem acesso a ela, bem como grupos de turistas ou grupos escolares que decidam fazer trilhos ou outros passeios e, “de forma preventiva”, informem o serviço municipal de Proteção Civil.

O responsável da Globaleda informou, ainda, que até ao final do ano estará concluído um projeto semelhante, encomendado pelo município da Madalena, na ilha do Pico.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.