Ponta Delgada homenageia "personalidades marcantes" do Coliseu Micaelense

Ponta Delgada homenageia "personalidades marcantes" do Coliseu Micaelense

 

Lusa / AO online   Regional   20 de Mai de 2017, 11:38

A Câmara de Ponta Delgada homenageia na segunda-feira diversas "personalidades marcantes" na dinamização cultural do Coliseu Micaelense, sala de espetáculos que este ano assinala o centenário, incluindo a ex-presidente da autarquia.

 

"O Coliseu Micaelense vale pela sua existência e pelas atividades que desenvolveu ao longo de cem anos, com centenas de espetáculos e atividades, mas também vale pelas pessoas que foram a alma e a razão da sua existência e da sua perenidade", disse hoje à agência Lusa o presidente do município, José Manuel Bolieiro.

O autarca destacou que o município da ilha de São Miguel está reconhecido "ao coliseu, assim como às pessoas que fizeram dele a sua própria realidade, a maior casa de espetáculos dos Açores".

"É um reconhecimento que marca uma data simbólica, que vem com tempo e a tempo", salientou José Manuel Bolieiro, adiantando que a homenagem é "o reconhecimento do município por todas estas pessoas que deram um enorme contributo para que o coliseu, primeiro Avenida e depois Micaelense, fosse o sucesso no âmbito cultural que é hoje e sempre foi".

O Coliseu Micaelense é o segundo mais antigo em Portugal, mas só em 1950 passou a ter aquela designação, uma vez que foi batizado de Avenida.

Inaugurado a 10 de maio de 1917, o então Coliseu Avenida foi construído como réplica do Coliseu dos Recreios, em Lisboa, em plena I Guerra Mundial, na cidade de Ponta Delgada, ilha de São Miguel.

Após vários anos de degradação, o município, liderado por Berta Cabral, comprou o edifício em 2002 e avançou com obras de recuperação, tendo reaberto ao público a casa de espetáculos três anos depois.

Berta Cabral, presidente do executivo autárquico responsável pela devolução do Coliseu Micaelense à cidade e atual deputada na Assembleia da República, vai receber a Medalha de Ouro do Município.

Segundo informação da câmara, a Medalha de Mérito Municipal vai ser atribuída ao primeiro diretor do Coliseu Avenida, Pedro de Lima Araújo, a José Raposo Amaral, empresário e político que presidiu ao grupo de empreendedores que em 1917 abriu o Coliseu Avenida, e a Francisco Luís Tavares, primeiro presidente da assembleia geral do Coliseu Avenida e "principal impulsionador da sua transformação em Coliseu Micaelense em 1950". Nestes três casos, as condecorações são a título póstumo.

A mesma Medalha de Mérito Municipal vai ser entregue a António dos Santos Figueira, que "dedicou cerca de 50 anos da sua vida profissional à programação das duas mais importantes casas de espetáculos de Ponta Delgada, o Coliseu e o Teatro Micaelense", e Nuno Medeiros Botelho, presidente do conselho geral da Fundação dos Botelhos de Nossa Senhora da Vida que, através da Cinaçor, adquiriu e manteve o espaço na segunda metade do século XX e foi o primeiro presidente da assembleia geral da nova fase da sociedade Coliseu Micaelense.

O município vai, ainda, distinguir com o Diploma de Reconhecimento Municipal José Barbosa, que "foi um grande revisteiro e fez diversas comédias, entre as quais se destaca 'Quem tem telhados de vidro', levada à cena em 1964 no Coliseu Micaelense", e José Vieira, que concebeu e executou os "cenários mais emblemáticos das revistas de teatro popular e dos bailes de Carnaval do coliseu, ambos já falecidos.

Teófilo Frazão, que foi "responsável musical dos grandes bailes do Coliseu Micaelense" e "do arranjo, sobre o original, da música do Hino dos Açores", vai ser condecorado, também a título póstumo, igualmente com o Diploma de Reconhecimento Municipal.

A cerimónia de entrega das distinções realiza-se na segunda-feira, feriado municipal, pelas 16:00 (mais uma hora em Lisboa), nos Paços do Concelho.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.