Polícia Municipal de Ponta Delgada regista em 2015 metade das contraordenações

Polícia Municipal de Ponta Delgada regista em 2015 metade das contraordenações

 

LUSA/AO online   Regional   4 de Mar de 2016, 13:29

O número de contraordenações de trânsito levantadas pela polícia municipal de Ponta Delgada, nos Açores, diminuiu para metade em 2015 face ao ano anterior, tendo triplicado as ações de sensibilização nas escolas, informou hoje a autarquia

Em 2014, as contraordenações de trânsito foram 2.817, passando para 1.381 no ano passado, sendo que o estacionamento irregular lidera as razões apontadas, revelou à agência Lusa o comandante da Polícia Municipal, Pedro Almeida, destacando o estacionamento em locais reservados a deficientes, entidades ou serviços públicos.

Ainda no ano passado, a Polícia Municipal somou 78 contraordenações noutras áreas (48 em 2014), sendo que estas se reportam, sobretudo, à fiscalização no âmbito dos regulamentos municipais e, neste caso, na área do urbanismo, explicou Pedro Almeida.

O comandante realçou o trabalho de sensibilização junto das escolas, que passou de 43 ações em 2014 para 127 no ano passado, chegando a cerca de 1.700 alunos, tendo sido privilegiadas iniciativas sobre segurança rodoviária, mas, a pedido dos estabelecimentos de ensino do concelho, a segurança na Internet e o ‘bullying’ foram outros temas abordados.

À agência Lusa, o presidente da Câmara de Ponta Delgada, José Manuel Bolieiro, garantiu que a prioridade para a intervenção da Polícia Municipal nunca se prendeu com “uma fiscalização agressiva e contraordenacional”, mas antes uma intervenção de “proximidade” que colabore, sobretudo, na regulação rodoviária e, também, “na fiscalização preventiva dos espaços públicos”, além das ações de sensibilização.

“O ano de 2015 foi o ano em que nós reforçámos - e bem - o papel e a intervenção da Polícia Municipal junto das escolas”, disse José Manuel Bolieiro, referindo que a presença dos agentes municipais junto às escolas confere um sentimento de segurança e é dissuasora de comportamentos de risco.

Assinalando que a Polícia Municipal visa prestar “um serviço à comunidade e não uma forma de angariação de receita”, na ordem dos 65 mil euros no ano passado, o autarca sustentou que “a presença e a visibilidade” desta força, com 26 agentes, “ajuda ao reforço do sentimento de segurança”.

Por outro lado, salientou o papel desta força em eventos desportivos ou culturais, notando que “as instituições particulares têm recorrido à Polícia Municipal para a sua colaboração”.

Segundo dados da autarquia, no ano passado, a Polícia Municipal de Ponta Delgada recebeu 841 denúncias, destacando-se as relativas ao trânsito (176) e sobre animais (147).

“Estas últimas devem-se a infrações relativas à falta de vacinação, ‘chip’ ou registo obrigatório na junta de freguesia”, esclareceu Pedro Almeida, notando que, na área do ambiente, com 126 denúncias, a maioria se reporta à deposição irregular de resíduos na via pública.

A primeira e única Polícia Municipal da Região Autónoma dos Açores foi criada em fevereiro de 2009, mas só em agosto do ano seguinte entrou em funções. Tem, entre outras competências, a função de fiscalização de regulamentos municipais, do estacionamento e circulação rodoviária e a vigilância de espaços públicos.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.