Polícia Marítima resgatou 103 refugiados de veleiro em risco de naufragar


 

Lusa/AO online   Internacional   12 de Jan de 2016, 16:06

A equipa da Polícia Marítima (PM), em missão na ilha grega de Lesbos, resgatou 103 migrantes, 25 dos quais bebés e crianças, de um veleiro em risco de naufragar, indicou a Autoridade Marítima Nacional (AMN).

 

Segundo a AMN, o veleiro, com cerca de 20 metros e com 103 migrantes a bordo, dirigia-se para uma zona rochosa e corria o risco de naufragar, quando foi abordado pela equipa da PM, que conseguiu levar a embarcação para o porto grego de Molivos, onde todos desembarcaram em segurança.

Em comunicado, a AMN adianta que um dos migrantes, de nacionalidade afegã, revelou a um elemento da equipa da PM que todas as pessoas que vinham a bordo do veleiro tinham pago entre 500 a 3000 euros por aquela viagem

Durante o percurso, o afegão confessou também que era a terceira vez que tentava fazer a travessia até à Grécia com a sua família: na primeira vez foram abordados pela guarda-costeira turca que os obrigou a regressar a terra e, na segunda, o barco ficou preso nas rochas e mais uma vez tiveram de regressar a terra.

O elemento da PM perguntou ao afegão quem dirigia o veleiro, mas o migrante escusou-se a revelar, com medo de represálias, segundo a informação da AMN.

No total, a PM resgatou do veleiro 25 bebés e crianças, 21 mulheres e 57 homens, que, quando chegaram ao porto de Molivos, tinham já à espera organizações não-governamentais e médicos que os auxiliaram no desembarque.

Foi prestado apoio a duas pessoas com necessidades de cuidados médicos, refere a AMN.

Uma equipa da Polícia Marítima (PM) está no Mar Egeu, na Grécia, desde 01 de outubro do ano passado, no âmbito de uma operação da Agência Europeia da Gestão da Cooperação Operacional nas Fronteiras Externas dos Estados-Membros da União Europeia (Frontex).

A operação, denominada “Poseidon Sea 2015”, tem “o objetivo de cooperar no controlo e vigilância das fronteiras marítimas gregas e no combate ao crime transfronteiriço".

Segundo a AMN, a patrulha portuguesa resgatou, até ao momento, mais de 1.900 migrantes e refugiados.

A missão da Polícia Marítima no mar Egeu, de apoio à guarda-costeira grega, termina a 30 de setembro deste ano.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.