Polícia italiana apreende milhões de pastilhas de droga sintética traficada pelos 'jihadistas'


 

Lusa/AO online   Internacional   3 de Nov de 2017, 15:05

Milhões de pastilhas de uma droga sintética foram apreendidas em Itália no âmbito de uma operação de combate ao tráfico organizado de estupefacientes do autoproclamado Estado Islâmico (EI), divulgaram as autoridades locais.


A polícia financeira e as entidades aduaneiras italianas apreenderam "mais de 24 milhões de pastilhas da chamada 'droga de combate'", indicou um comunicado oficial.

A droga, no valor estimado de cerca de 50 milhões de euros, foi intercetada no porto de Gioia Tauro, na Calábria, no sul de Itália.

"A venda desta droga teria produzido cerca de 50 milhões de euros, uma vez que cada pastilha é vendida no mercado negro do norte de África e do Médio Oriente por cerca de dois euros", precisou a mesma nota informativa.

"Segundo as informações partilhadas com os serviços de informações estrangeiros, o tráfico de tramadol será gerido diretamente pelo EI para financiar as atividades terroristas que o grupo prepara e realiza em todo o mundo", referiu o comunicado.

O tramadol é um opiáceo que está indicado na prevenção e no tratamento da dor.

"Uma parte dos recursos ilegais provenientes da venda desta substância será destinada ao financiamento dos grupos terroristas e extremistas que operam na Líbia, na Síria e no Iraque", acrescentou a mesma fonte.

De acordo com o mesmo comunicado, a utilização de tramadol é frequentemente associada aos combatentes 'jihadistas' no Médio Oriente "ao ponto de ser chamada 'droga de combate', porque é um estimulante que aumenta a capacidade de resistir ao esforço físico".



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.