Polícia isrealita abate jovem palestiniano em posto de controlo em Jerusalém


 

Lusa/AO online   Internacional   25 de Abr de 2015, 14:49

A polícia israelita abateu na noite passada um jovem palestiniano que, alegadamente armado com uma faca, tentou atacar elementos policiais num posto de controlo na região leste de Jerusalém ocupada por Israel, anunciou fonte policial.

 

O jovem de 17 anos conseguiu passar um posto de controlo até ser parado no segundo posto, perto de Al-Zaim, sem contudo causar baixas entre as forças policiais, que divulgaram uma fotografia da faca que dizem estar na posse do suspeito.

Ativistas palestinianos em Jerusalém identificaram o adolescente morto como sendo Ali al-Ghannam, revelando que o seu pai foi chamado pela polícia para identificar o corpo.

Para o comandante da polícia de Jerusalém, Moshe Edri, a "intervenção determinada" das forças de segurança dos dois postos de controlo "salvaram vidas".

O posto de controlo de Al-Zaim, onde o suspeito foi abatido pouco antes da meia-noite de sexta-feira (21:00 GMT), fica localizado na principal autoestrada a leste de Jerusalém, tendo esta cidade vindo a ser palco de inúmeros ataques mortais de palestinianos desde o passado mês de outubro.

No início deste mês, um israelita foi morto e uma mulher ficou ferida com gravidade quando um condutor palestiniano fez deliberadamente o seu carro colidir contra uma paragem de autocarro.

Em março, cinco israelitas ficaram feridos quando um outro condutor palestiniano abalroou um grupo que seguia a pé e saiu depois do carro para os esfaquear, enquanto, em novembro, um polícia de fronteira israelita foi morto e diversas pessoas ficaram feridas quando um palestiniano fez embater o veículo que conduzia contra uma paragem do elétrico.

Pouco antes, ainda em outubro, um bebé israelo-americano de três meses foi uma das duas vítimas mortais de um ataque semelhante.

O clima de tensão tem vindo a intensificar-se em Jerusalém desde o assassinato de prisioneiros israelitas e palestinianos como retaliação pelo rapto de militantes palestianos e extremistas judeus no último verão.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.