Polícia indonésia deteve 41 suspeitos após duplo atentado suicida de maio


 

Lusa/Açoriano Oriental   Internacional   22 de Jun de 2017, 11:37

A polícia indonésia anunciou que já deteve 41 militantes suspeitos na sequência do duplo atentado suicida que ocorreu em maio e matou três polícias, num terminal de transportes, na capital do país.

 

O porta-voz da polícia nacional, Setyo Wasisto, disse que 14 dos detidos durante as investigações são suspeitos de ligações ao ataque que feriu ainda seis polícias e cinco civis, no passado mês de maio.

Wasisto acrescentou que cinco outros suspeitos saíram em liberdade por falta de provas.

A polícia identificou os detidos como membros do Jemaah Anshorut Daulah, um grupo de extremistas indonésios formado em 2015, alegadamente ligado ao grupo extremista Estado Islâmico (EI).

No dia 24 de maio, dois bombistas suicidas fizeram-se explodir em frente ao terminal de transportes Kampung Melayu, na capital da Indonésia, num duplo atentado que causou três mortos, reivindicado pelo EI.

A Indonésia, país de maioria muçulmana, tem realizado várias operações contra ‘jihadistas’ desde o atentado bombista em Bali no ano de 2002, realizado por um grupo afiliado à Al-Qaida, que matou 202 pessoas, na sua maioria estrangeiros.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.