Polícia do Quénia dispersa com gás lacrimogéneo e tiros dezenas de pessoas

Polícia do Quénia dispersa com gás lacrimogéneo e tiros dezenas de pessoas

 

Lusa/AO online   Internacional   9 de Ago de 2017, 11:44

A polícia do Quénia dispersou com gás lacrimogéneo e disparos para o ar dezenas de pessoas que bloquearam com barricadas algumas ruas de Mathare, um subúrbio de Nairobi, constatou a agência noticiosa espanhola EFE.


Um grande dispositivo policial foi deslocado para aquela zona, onde um grupo de residentes bloqueou ruas com pedras e fogueiras após alegações por parte da oposição de fraude nas eleições realizadas na terça-feira.

Noutras zonas do país, como em Kisumu (oeste), a polícia também lançou gás lacrimogéneo para dispersar um pequeno grupo de manifestantes que saiu à rua em apoio do candidato da oposição, Raila Odinga.

Depois da comissão eleitoral queniana ter divulgado os primeiros resultados parciais que dão uma vitória ao presidente cessante, Uhuru Kenyatta, com 54,57% dos votos, contra 44,58% para Odinga, este denunciou uma fraude através da pirataria do sistema informático de contagem dos votos.

Segundo Odinga, na contagem dos votos foi utilizada a identidade do diretor de telecomunicações da comissão eleitoral Chris Msando, que foi assassinado há 10 dias.

O presidente da comissão, Wafula Chebukati, afirmou que as denúncias da oposição vão ser investigadas, embora tivesse adiantado que confia no sistema de contagem e transmissão dos votos.

Perante a tensão no país, o ministro do Interior, Fred Matiang'i, pediu aos cidadãos, numa conferência de imprensa, que se abstenham "de qualquer atividade que ponha em perigo a vida dos demais ou a estabilidade do país".



Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.