Plataforma sindical quer criar sistema de avaliação de gestores públicos nos Açores

Plataforma sindical quer criar sistema de avaliação de gestores públicos nos Açores

 

Lusa/AO Online   Regional   5 de Abr de 2017, 17:00

A plataforma das estruturas representativas do setor público empresarial regional, que reúne oito sindicatos e duas comissões de trabalhadores, defendeu hoje a criação, nos Açores, de um sistema de avaliação dos gestores públicos de modo a fortalecer as empresas.

 

“É absolutamente necessário que se crie algo que faça o acompanhamento das diversas empresas do setor público empresarial regional de modo a que seja transparente para todos os açorianos a gestão dessas empresas”, afirmou a agência Lusa o porta-voz da plataforma, João Decq Motta.

Os representantes da Plataforma das Estruturas Representativas dos Trabalhadores do Setor Público Empresarial Regional, formada a 07 de março deste ano, reuniu hoje, em Ponta Delgada, na ilha de São Miguel, com os grupos parlamentares do PSD, PS, BE e PCP para dar conta das suas reivindicações e propostas.

Para João Decq Motta é necessário passar a responsabilizar os gestores públicos pelos resultados obtidos, “premiando quem desempenha bem as funções que lhe foram conferidas e responsabilizando os que não o fazem, prejudicando os interesses da região”.

Tal como já havia anunciado em março, a plataforma pretende, também, que seja criada uma comissão de inquérito parlamentar ao setor público empresarial regional, mas João Decq Motta referiu hoje que “há muitas reticências” por parte do PS e PSD.

“Muitas empresas foram criadas para poder contornar, digamos assim, até a própria lei na obtenção até de empréstimos para poder resolver algumas situações”, alegou João Decq Motta, considerando útil realizar um estudo ao universo empresarial regional para se aferir a realidade concreta.

Reposição do direito da contratação coletiva, cumprimento, atualização e valorização dos Acordos de Empresa, descongelamento imediato das progressões nas carreiras profissionais do setor público empresarial e mais formação profissional são outros dos objetivos reivindicados pela plataforma.

Segundo disse João Decq Motta, por indisponibilidade de agenda não foi possível reunir hoje com representantes do CDS-PP e PPM, estando a ser agendada nova data.

Em abril, os representantes da plataforma vão promover ações de sensibilização junto dos trabalhadores do universo empresarial público regional e tentar em maio reunir com a Inspeção Regional do Trabalho, o vice-presidente do Governo Regional e com o Representante da República.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.