Cimeira NATO

Plataforma Anti-NATO aposta em protesto pacífico


 

Lusa/AO online   Nacional   17 de Nov de 2010, 16:27

Contra uma aliança que afirmam não ganhar guerras nem adiantar para a paz, os activistas da Plataforma Anti-Guerra Anti-NATO (PAGAN) vão ser em Portugal agentes do protesto não violento contra a realização da cimeira deste fim-de-semana.
Em entrevista à Agência Lusa, um dos dinamizadores da PAGAN, Vítor Lima, afirmou que a ideia da Plataforma é protestar pacificamente, manifestando-se na rua, e contribuir para a discussão das razões da existência da NATO numa contra-cimeira, que se realiza paralelamente à cimeira da Aliança Atlântica.

Questionado sobre as expressões de violência que por vezes acompanham as manifestações contra organizações como a NATO, Vítor Lima é categórico: "Não temos nada a ver com essas coisas", afirmou.

"Mas não temos meios para evitar se alguém se quiser infiltrar e provocar danos e tomar atitudes violentas. Se soubermos que está algures um indivíduo com a cara tapada ou com pedras na mão, procuramos demarcarmo-nos e afastarmo-nos, como é óbvio. Não estamos interessados em ser conotados com acções violentas", ressalvou.

Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.