Plano quer colocar na rota dos turistas vila piscatória de Rabo de Peixe

Plano quer colocar na rota dos turistas vila piscatória de Rabo de Peixe

 

Lusa/AO Online   Regional   8 de Jul de 2016, 09:42

A criação do museu do pescador, passeios em embarcações de pesca e a promoção de uma queijada são iniciativas do plano turístico da vila piscatória de Rabo de Peixe, que pretende afirmar-se no mapa do turismo.

“Com este plano para o turismo pretendemos colocar Rabo de Peixe no mapa das visitas dos turistas a São Miguel e aos Açores e dar a conhecer as potencialidades da vila e dinamizar a economia local”, afirmou hoje o presidente da Junta de Freguesia, Jaime Vieira, em declarações à Lusa, acrescentando que o documento foi elaborado com a colaboração da Câmara Municipal da Ribeira Grande, "um parceiro ativo" para a concretização deste documento.

O presidente da Junta adiantou que uma das primeiras ações do plano será o lançamento, em breve, do roteiro turístico e de um filme promocional das potencialidades da vila.

Rabo de Peixe, na costa norte da ilha de São Miguel, tem cerca de 9.700 habitantes e constitui uma das principais comunidades piscatórias açorianas.

O autarca disse que a vila tem "um vasto património religioso" que pode também representar "uma mais-valia para os turistas" e realiza "festejos singulares", como as festas do Espírito Santo, com "características únicas, marcadas pelo desfilie dos carros de bois e pelos grupos de castanholas".

“Neste sentido, o plano propõe uma interação entre os turistas e as associações que dinamizam as festas do Espírito Santo, para que os visitantes possam participar ativamente nestas festas”, sublinhou.

O plano turístico de Rabo de Peixe passa, também, pela vertente do turismo náutico, tendo Jaime Vieira acrescentado que a ideia é intensificar passeios turísticos a bordo de embarcações de pesca para que os turistas contactem diariamente com a realidade e atividade da pesca.

Quanto à criação do museu do pescador, o presidente da Junta disse que um arquiteto já está a tratar da adaptação de um edifício.

“Vamos apostar forte no museu do pescador, atendendo a que estamos numa comunidade piscatória que ultrapassa as mil pessoas. A ideia é que os visitantes possam conhecer o que se faz nas atividades ligadas ao mar, desde a história do início da pesca, os barcos e ferramentas utilizadas, e, também, mostrar a evolução da pesca em Rabo de Peixe. Tudo documentado com fotografias e artefactos”, indicou, salientando que vai igualmente ser adquirida a casa do poeta Rui Galvão de Carvalho para dar a conhecer a sua obra.

Dinamizar a oferta de alojamento em espaços de turismo rural, já que a freguesia é rica em quintas, e dinamizar as empresas locais de construção naval de barcos são outras apostas do plano, que considera também fulcral a promoção da gastronomia, com especial destaque para os pratos de peixe.


Açormédia, S.A. | Todos os direitos reservados

Este site utiliza cookies: ao navegar no site está a consentir a sua utilização.
 
Termos e Condições de Uso.